Recife

Seminário Internacional de Geografia Agrária discute resistências na América Latina

A programação conta com oficinas, mesas temáticas, lançamentos de livros

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
Cacique Babau é um dos nomes confirmados na atividade / Reprodução

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) será palco de mais uma edição do Seminário Internacional de Geografia Agrária, o SINGA. O evento vai acontecer de 11 a 15 de novembro, está sob a coordenação do Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Espaço Agrário e Campesinato (Lepec), vinculado ao Departamento de Geografia e ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Na programação, vai dar para conferir dezenas de oficinas, mesas temáticas, lançamentos de livros e uma feira de produtos produzidos pelas comunidades participantes.

Nesta edição o SINGA traz como tema norteador “Para além das cercas que nos cegam: As naturezas das R-Existências na América Latina” e tem como objetivo debater e entender as formas e as estratégias que os povos latino americanos têm construído em suas localidades e especificidades. Segundo o professor de geografia e doutorando Anderson Camargo, que está na organização do evento, O SINGA representa a tentativa de troca entre a geografia e os movimentos sociais que atuam no campo. “É um evento que entende que estudar o espaço agrário implica em entender as contradições em cada espaço. E estar posicionado sobre isso, é ter consciência que a intervenção humana e política que é fazer pesquisa não pode desconsiderar a presença e a subjetividade que os sujeitos têm sobre as contradições, as lutas e as suas geografias”, explica.

Dentro da programação, terão momentos com várias lideranças dos povos indígenas, como o Cacique Babau (Povo Tupinambá), Moira Ivana Millan (Povo Mapuche) e Elisa Urbano (povo Pankararu), além dos quilombolas, como Nêgo Bispo (Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Piauí), Maria Izaltina Silva Santos (Comunidade Quilombola Brejão dos Negros), entre outros.

 Serão 10 mesas com temáticas diversas, como “Agro é negócio, agro é tóxico!  A situação de trabalho degradante e Adoecimento no campo”;  “Reforma Agrária e educação como forma de emancipação dos povos do campo, das florestas e das águas” e “Estado de exceção, crise do capital e processos de autonomia no contexto de ascensão da extrema direita”, além  “Sozinha ando bem, mas com você ando melhor”: o protagonismo das mulheres na luta por terra e território” e “Movimentos socioterritoriais: teoria e luta”. Nos lançamentos, vai ter o filme "O Voo da Primavera", sobre Dom Tomás Balduino, no dia 12 de novembro. E também será lançado, só que no dia 14,  o filme "FUKUSHIMA: 5 DIAS DECISIVOS" do diretor Tamiyoshi Tachibana, sobre o acidente da usina nuclear ocorrido em 2011.  

 

Edição: Monyse Ravena