ACESSIBILIDADE

Há 25 anos, Programa Superar oferece aulas esportivas para pessoas com deficiência

16 modalidades são ofertadas gratuitamente para quase mil alunos em BH

Belo Horizonte

,

Ouça o áudio:

Profissionais da educação física e estagiários fazem o acompanhamento diário dos alunos / Amélia Gomes

Judô, patinação, atletismo, bocha, dança, futsal, goalball, rúgbi em cadeira de rodas, voleibol sentado e parataekwondo, são algumas das 16 modalidades esportivas ofertadas pelo Programa Superar, organizado pela Prefeitura de Belo Horizonte.

O projeto surgiu em 1994 e de lá pra cá só expandiu os horizontes. Atualmente, atende cerca de 950 alunos de diversas regiões da capital. São pessoas com deficiência física, visual, intelectual, auditiva, múltipla e autismo. A sede principal do programa é o Centro de Referência para a Pessoa com Deficiência, mas as aulas também são ofertadas em outros núcleos; na Escola Municipal de Ensino Especial Frei Leopoldo, no Colégio Marconi, no Clube Palmeiras, nas escolas estaduais de ensino especial Amaro Neves e João Moreira Salles, na Associação de Deficientes Visuais de Belo Horizonte e também na Associação de Surdos.

Recentemente, o Superar iniciou também uma parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais. Nas aulas, profissionais da educação física e estagiários especializados fazem o acompanhamento diário dos alunos. Ana Paula Rodrigues dos Santos, que há seis anos acompanha o filho de 12 anos nas aulas de natação e judô, afirma que, se o Programa não existisse, não teria condições de arcar com o custo das aulas, que foram uma recomendação médica. "Aqui, todo mundo é igual, não tem discriminação. Além das aulas, meu filho fez vários amigos também. Os médicos e fisioterapeutas falam que ele melhorou fisicamente por causa das aulas", declara.

Referência Nacional

Os atletas do Superar são destaque nacional e detêm coleção de medalhas! O time de Bocha Paralímpica venceu recentemente um campeonato nacional. Já a equipe do Rúgby em cadeira de rodas é tetracampeã brasileira na competição. Outro destaque do programa é a Corrida Rústica, evento que, este ano, realizou sua vigésima segunda edição.

Diversas associações do interior vêm para o evento, que já é marco no calendário da cidade. A última edição contou com mais de 700 participantes. "A gente mostra que a pessoa com deficiência também é um cidadão e dá sim conta de fazer muitas coisas. É um evento muito importante para gente", exalta Lucas Sampaio, analista de políticas públicas do Superar.

Atenção especial para as mães

Além de ofertar aulas para os alunos, o Programa também oferece diariamente aulas de ginástica para as mães. "A gente tem preocupação também com a saúde dessas mães porque elas ficam o dia todo acompanhando os filhos em consultas médicas, terapêuticas e na escola, então precisam de uma atenção e cuidado especial", explica Lucas Sampaio.

Uma dessas mães é a Ana Paula Rodrigues. "Eu adoro as aulas com as mães! Sempre faço. Relaxa o corpo e a mente. É ótimo porque a gente nem sempre tem tempo para se exercitar e toda mãe gosta de cuidado né?!", afirma, com sorriso no rosto.

Como participar?

Para ingressar no Superar é preciso ter idade superior a seis anos e apresentar laudo de deficiência, condicionado à existência de vagas. Informações pelo email [email protected] ou pelos telefones 3277- 4546 e 7681.

Edição: Elis Almeida