Eleições

Corte Eleitoral do Uruguai adia anúncio de vencedor após estreita diferença de votos

Quantidade de votos em observação é maior que a diferença entre os dois candidatos, o que leva disputa a um impasse

Ouça o áudio:

Quantidade de votos em observação é maior que a diferença entre os dois candidatos, o que leva disputa a um impasse / Reprodução

A Corte Eleitoral do Uruguai adiou o anúncio do o vencedor do segundo turno das eleições presidenciais realizadas neste domingo (24/11) devido a um impasse gerado pela estreita diferença da quantidade de votos entre os candidatos.

Após 99,31% das urnas apuradas, a quantidade de votos em obervação - cédulas que não entraram na contagem por problemas técnicos - é maior do que a diferença entre a quantidade de votos conquistados pelos presidenciáveis. O órgão eleitoral do país deve apurar esses votos dentro dos próximos dias.

A essa altura, o ex-prefeito de Montevidéu e candidato pela coalizão de esquerda, Daniel Martínez, tem 1.130.248 dos votos, contra 1.160.829 de seu adversário, o direitista do Partido Nacional, Luiz Lacalle Pou.

A diferença entre os dois candidatos é de 30.581‬ votos, enquanto os votos em observação são 35.083. Embora os números apontem para uma pequena vantagem de Lacalle Pou, que aparece com 48,7% dos votos, Martínez, que tem 47,5%, ainda pode vencer se conquistar mais de 90% dos votos que estão em observação.

Em vista do impasse, a Corte Eleitoral afirmou que o vencedor do pleito apenas será anunciado entre quarta-feira (27/11) e sexta-feira (29/11).



Após o anúncio da Corte Eleitoral, o candidato da Frente Ampla discursou para milhares de pessoas que comemoravam os resultados. Martínez destacou a "situação inédita" no país, agradeceu a militância e disse que irá esperar até o último voto.

"Temos a tarefa histórica de buscar um entendimento para construir um só país um só Uruguai. Tentaram nos enterrar, mas o que não sabiam é que somos sementes", disse.

"Por isso, qualquer que seja o resultado que a Corte divulgue na terça-feira, aqui existe um povo que não quer ser passivo na história da pátria, queremos ser protagonistas", afirmou.

Por sua vez, Lacalle Pou disse que "formalmente, o resultado será conhecido nos próximos dias. Lamentavelmente, o candidato do governo não nos ligou para reconhecer um resultado que, a nosso ver, é irreversível".

Edição: Opera Mundi