GINGA & RESISTÊNCIA

Encontro Nordeste de Capoeira Angola Palmares começa nesta quinta-feira (05)

19ª edição do evento terá presença do Mestre Nô, fundador do Grupo Palmares, de Salvador

Brasil de Fato | João Pessoa - PB

,
Divulgação / Foto

O 19º Encontro Nordeste de Capoeira Angola Palmares (ENCAP) deste ano vem com o tema “Palmares 40 anos de existência”, e contará com a presença do Mestre Nô, fundador do Grupo Palmares, de Salvador-Ba. As atividades acontecem na Casa Pequeno Davi e Centro Cultural Piollin, de 05 a 07 de dezembro.

O evento é realizado anualmente desde o ano 2000. Segundo a contramestra Malu, uma das organizadoras do evento, cada o grupo de capoeira tem sua forma de organização em nível nacional. “Alguns eventos levam o nome de batizado, festival ou campeonato. E a gente trabalha com a idéia de encontro, de encontrar as pessoas e partilhar o conhecimento da Capoeira Angola”.

O Encontro terá diversas atividades como roda de diálogo, com a presença do Mestre Nô (BA), Mestre Gilmário (BA) e Mestre Dário (PB). Serão ministradas oficinas como Capoeira Angola, Maculelê, Penteado Afro, Floreios de Capoeira e Tambores. Haverá a entrega das graduações dos alunos do Grupo Capoeira Angola Palmares, no Roger, no sábado à tarde com muita roda de capoeira e maculelê. As atividades acontecem na Casa Pequeno Davi e Centro Cultural Piollin.



Mestre Dário, coordenador do 19º ENCAP, conta da satisfação de realizar o evento: “É uma alegria enorme podermos estar com o Mestre Nô narrando a história da capoeira angola a partir de sua vivência de capoeira baiana”. Segundo o Mestre Dário, o Mestre Nô deu e dá uma valiosa contribuição para a capoeira angola no mundo, e na Paraíba foi o responsável pela formatura dos primeiros mestres de capoeira do estado”. Dário ainda destaca que o Mestre Nô trouxe a organização dos eventos de capoeira em formato de oficinas, apresentações, trocas de cordéis e rodas de diálogos.

Para as crianças, adolescentes e jovens que treinaram durante o ano, o evento é um momento de culminância pela entrega dos cordéis, que são as graduações da capoeira. “É um momento festivo, de juntar a família, a comunidade, antigos e novos capoeiristas com essa meninada que está começando a capoeira”, conta a contramestra Malu que além de , contramestra, é professora de capoeira, e comenta que há várias mulheres no grupo, monitoras, “nosso grupo sempre teve esse olhar da mulher bem forte”.



Para os capoeiristas é muito importante poderem conhecer e partilhar os conhecimentos de capoeira com o Mestre Nô e convidados, e manter a tradição da capoeira angola para a geração presente e a futura da capoeira. O evento é gratuito e aberto ao público.

Capoeira Angola Palmares 

A capoeira é praticada atualmente em mais de 150 países, segundo o Ministério da Cultura (MEC). Em João Pessoa chegou em 1979 com Adalberto da Conceição, conhecido por Mestre Zumbi Bahia, que reside atualmente no Maranhão. O trabalho da Associação Brasileira e Cultural de Capoeira Angola Palmares está em vários estados brasileiros e em vários países, como: Inglaterra, Rússia, Estados Unidos da América (EUA) e Itália.

No Roger, o Grupo Capoeira Angola Palmares está sob a coordenação do Mestre Dário e da contramestra Malu. “A partir da vivência da capoeira angola, o sujeito aprende e ensina a respeitar a si mesmo, o outro e o mundo. Ele torna-se mais participativo e crítico no mundo”, afirma o Mestre Dário.

Malu acrescenta que podemos perceber esse protagonismo nos diversos momentos, nas aulas, na organização do espaço e dos eventos. E ilustrou dizendo que os oficineiros de penteado afro, Nina Nascimento e Floreios de Capoeira e Tambores Gabriel Farias, Marcus Anderson, Ivaldo Gomes são alunos que hoje tem a possibilidade de partilhar os conhecimentos sobre as manifestações culturais afro-brasileira adquiridos no grupo. 



 

Edição: Redação BdF