Coluna

Mobilização contra demissão de 3.600 cobradores para as ruas de Porto Alegre

Imagem de perfil do Colunistaesd
Protesto trancou corredores de ônibus nas principais vias da cidade
Protesto trancou corredores de ônibus nas principais vias da cidade - Fotos: Grupo Resistência
O caso dos cobradores é exemplar do que significa o tal “estado mínimo”

Nesta segunda-feira, dia 09/12, uma mobilização dos rodoviários contra demissão de 3.600 cobradores provocou um mega-congestionamento em Porto Alegre. Nesta data, esta marcada a votação de um Projeto de Lei municipal que acaba com a profissão de “cobrador de ônibus” na cidade. A alegação, para eliminar 3.600 postos de trabalho no transporte público, é a “redução do aumento”. Isso mesmo, redução do aumento da passagem em 5 centavos. Sim, 5 CENTAVOS! A passagem mais cara do Brasil vai subir de qualquer jeito. Mas se os vereadores de Porto Alegre votarem a favor da nefasta lei do prefeito, ela vai subir 5 CENTAVOS a menos.

É preciso que se diga, no entanto, que “cobrador de ônibus” não é só cobrador. Ele é uma pessoa da tripulação do enorme veículo que leva dezenas de vidas a bordo. Com a ausência do auxiliar, vai significar risco de vida para passageiros, mais dificuldade de acesso de pessoas com deficiência, o fim das milhares de informações prestadas todos os dias pelos cobradores aos usuários sobre destino, paradas, etc…

Dizem que vão substituir o cobrador pela bilhetagem eletrônica, que já existe há muito tempo, aliás.

Não fosse só pela falta que fará a figura do cobrador auxiliar do motorista, estamos vivendo um período de desemprego e precarização do trabalho que só será aumentado por mais 3.600 demitidos, se os vereadores confirmarem o que quer Marchezan: o tal “estado mínimo”.

O caso dos cobradores é exemplar do que significa o tal “estado mínimo”, preconizado pelos neoliberais de todos os matizes: o trabalhador que ainda esteja empregado tem o valor de sua passagem reduzido em 5 centavos, para que 3.600 trabalhadores que ganham, em média, R$ 2.000,00 por mês, sejam demitidos. Entendeu  a conta? Pois é.

Veja mais fotos e vídeos da mobilização e caminhadas que saem de vários pontos da cidade e vão se encontrar na Câmara de Vereadores, onde o projeto será votado hoje, a partir das 13 horas. As fotos são do Grupo Resistência:

Muitos usuários dos coletivos desistiram de aguardar e seguiram a pé

Edição: Marcelo Ferreira