RESISTÊNCIA

Ato em Solidariedade a Márcia Lucena acontece hoje (20), no presídio, em Mangabeira

Prisão da Prefeita de Conde é denunciada por diversas entidades como ilegal e arbitrária

Brasil de Fato | João Pessoa

,
Divulgação / Card

Um ato em solidariedade contra a prisão ilegal de Márcia Lucena acontece nesta sexta-feira (20), às 17h, no presídio Júlia Maranhão, em João Pessoa. Diversas entidades apontam ilegalidade e arbitrariedade no encarceramento da prefeita de Conde. Segundo as organizações, a prefeita, que foi secretária de Educação na gestão do ex-governador Ricardo Coutinho, é citada indiretamente no processo da 7ª fase da Operação Calvário, porém não existe acusação formal contra ela.

Joana D’Arc Ribeiro, uma das organizadoras do Ato de Solidariedade, afirma que será feita uma vigília recheada de beleza, cânticos e rezas: “Não há nada que comprove o envolvimento da professora Márcia em qualquer ato ilícito. Vamos realizar uma vigília em solidariedade à prefeita com cantorias e rezas, para levar energias e dizer que não vamos nos calar. Vamos prestar toda a solidariedade e colocar beleza nesse momento; queremos fazer tudo muito lúdico porque Márcia é uma pessoa lúdica, colorida, e faremos o enfrentamento necessário aqui, do lado de fora”, afirma ela. 

Nesta sexta-feira foi expedido o habeas corpus para a prefeita. Diversas entidades como Marcha Mundial das Mulheres - PB, Movimento de Mulheres e Feminista -PB, Articulação de Mulheres Brasileira, Partido dos trabalhadores/as divulgaram nota em solidariedade a Marcia Lucena e contra a sua prisão ilícita. Movimentos sociais de diversas localidades foram convidados para o ato de hoje, populares de Conde, artistas, lideranças comunitárias, políticas, partidos, professores/as, Frente Brasil popular, Levante popular da Juventude, e outras entidades.

O Presidente do PSB de Conde, Aleksandro Pessoa, aponta que a população em geral  está espantada e sensibilizada com a prisão da Prefeita: “Este ato é de todas as comunidades quilombolas e indígenas da região de Conde, a população negra, LGBT e a população de forma geral, que está sensibilizada com tudo o que vem ocorrendo na operação Calvário, que surpreendeu a todos com a prisão da professora e prefeita Márcia Lucena, eleita legitimamente.” 

Ele aproveita para destacar que a cidade de Conde deu um salto extraordinário nos últimos três anos na gestão da prefeita Márcia Lucena: “A cidade desenvolveu de forma extraordinária, com todos os pagamentos em dia, décimo terceiro, obras e todo canto, transparência, orçamento democrático, palestras, visitas, então a população criou um elo, uma ligação com a prefeita Márcia”, ressalta ele.

A prisão foi uma surpresa porque não existe o processo formal, e em nenhum momento Márcia foi citada e nem intimada. Pessoa cita o caso do ex-assessor da Prefeita, Ricardo Madruga, que também foi envolvido no processo da operação Calvário, e que, meses depois, o Ministério Público retirou as acusações contra ele porque constatou que não havia culpabilidade: semelhante a Márcia, Ricardo também foi citado sem ter  acusação no processo. “Até retirar o nome dele e até ele comprovar  inocência, sua vida pessoal e profissional foi estraçalhada”,  relata Pessoa.

A organização do ato pede para que as/os participantes vão vestidos de branco e levem cartazes, faixas e instrumentos musicais para cantar, dançar e rezar contra as injustiças, levando alegria e solidariedade. Pela liberdade da professora Márcia!

Edição: Redação BdF