Carnaval 2020

Blocos de rua antecipam abertura oficial do carnaval do Rio de Janeiro

Clima de folia já começou nas ruas da cidade com o desfile de mais de 20 blocos no primeiro final de semana do ano

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
Blocos que fazem o carnaval de rua do Rio reclamam de burocracia e cobram políticas públicas eficientes da prefeitura / Fernando Frazão/Agência Brasil

O ano mal começou e o clima do carnaval já invade as ruas do Rio de Janeiro. No último domingo (5) ocorreu a abertura “não oficial” da festa e os foliões aproveitaram os mais de 20 blocos que desfilaram na cidade. 

A jornalista Viviane Nascimento é fã do carnaval de rua do Rio. Há 20 anos a foliã organiza fantasia e prepara a lista dos blocos que pretende acompanhar. Ela estava na abertura “não oficial” da festa e contou que a alegria tomou conta das ruas no último domingo. “Foi um clima muito gostoso, legal ver as pessoas fantasiadas, muito glitter, purpurina e alegria. Foi bem diverso, teve maracatu, samba, pagode, protesto feminista. A rua tomada com aquela alegria que a gente gosta e curte". 

No calendário oficial da cidade, a abertura da festa começa no domingo (12) com a apresentação do "Bloco A Favorita" e a eleição do Rei Momo, a princesa e a rainha do carnaval no palco do Reveillón em Copacabana. A Prefeitura do Rio anunciou que neste ano o carnaval terá duração de 50 dias. Contudo, o anúncio da gestão de Marcelo Crivella não interfere na festa que já ocorre nas ruas da cidade e movimentou, só em 2019, 4,5 milhões de foliões durante nove dias de folia.

Rita Fernandes é presidente da Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro da Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro (A Sebastiana). A agremiação tem 20 anos e reúne blocos tradicionais do Rio como “Simpatia é Quase Amor”, “Escravos da Mauá” e “Carmelitas”. Para ela, é mais importante pensar em desenvolver uma política eficiente para o carnaval em vez de aumentar o número de dias da festa.

“A nossa expectativa está muito mais no encaminhamento de uma política pública efetiva e definitiva para o carnaval de rua, do que qualquer atitude solta e oportunista para esse ano. Está sendo novamente mais um ano difícil. A burocracia aumentou muito, principalmente ao que toca aos bombeiros e polícia civil. Eles usam um decreto que está ultrapassado, de 2014, o ex-governador Pezão fez um [decreto] em 2016 que revogava as exigências do de 2014 e isso não está sendo considerado”, ressalta Fernandes que afirma que o carnaval de rua não pode estar sujeito a regras de megaeventos.

Segundo o calendário da prefeitura, o encerramento da folia será no dia 1º de março. A Riotur anunciou que espera ultrapassar a marca de 1,6 milhões de turistas para 2020. Cerca de 731 blocos de rua se cadastraram para desfilar em 2020. As regiões do centro, zona sul e zona norte concentram a maioria dos grupos.

Edição: Mariana Pitasse