Música

"Eles sabem que a cultura desarma e traz consciência", afirma Lucas Santtana

Em entrevista ao Brasil de Fato, músico fala sobre censura e defende as políticas sociais do governo Lula

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
"Bolsonaro não tem condições nem para ser síndico de prédio", diz Lucas Santtana / José Eduardo Bernardes

"O céu é velho há muito tempo", afirma o músico Lucas Santtana, recorrendo ao nome do seu oitavo álbum para falar sobre o governo de Jair Bolsonaro e as tentativas recentes de censura à arte. Para ele, o que se vê são "os últimos espasmos desse tipo de pensamento" conservador, que ele acredita que não vão durar muito tempo.

No álbum lançado em 18 de outubro, Lucas Santtana chamou atenção com a música Meu primeiro amor, gravada em parceria com Duda Beat. A canção conta a história de um casal formado por uma menina de classe média do Sudeste com um jovem pobre do sertão nordestino, que cresceu no semiárido, onde "não tinha água tampouco comida, até que Lula veio e deu a mão". Em entrevista ao Brasil de Fato, o músico diz que foi "natural" falar sobre as políticas sociais do governo Lula: "eu posso dizer que não foi nem uma homenagem, foi falar o que aconteceu".

Depois de voltar de uma turnê pela França, o músico comentou a recepção a sua música e a visão do Brasil sob o governo Bolsonaro no exterior. "Todo mundo sabe que um energúmeno assumiu a presidência, alguém que não tem a menor condição", disse.

Lucas Santtana flutua entre o folk e o rock e é considerado um dos mais talentosos nomes da nova música brasileira. Nascido em Salvador, hoje ele vive em São Paulo e já teve suas músicas gravadas por nomes como Céu e Marisa Monte. Na entrevista, o músico comenta o lançamento do oitavo álbum, O céu é velho há muito tempo, em que política, amor e misticismo se misturam.

Edição: Julia Chequer