Coluna

Congresso do Povo: Instrumento para a retomada da cidade pelos porto-alegrenses

Imagem de perfil do Colunista
14 de Janeiro de 2020 às 14:24
O Congresso do Povo não é um evento, é um instrumento para que o povo apresente suas demandas e sugira soluções / Divulgação
Mais do que nunca, é tempo de ouvir o que o povo tem a dizer

Porto Alegre está sendo dilapidada pelo governo do tucano Nelson Marchezan Junior. Saúde, assistência social, educação, água… falta tudo para o povo porto-alegrense. Marchezan não ouve e nem vai ao povo. Ele acha que o “Estado mínimo” é a solução. Megalômano, chegou a pagar propaganda ilegal na mídia nacional, dizendo que Porto Alegre está privatizando tudo antes do Brasil, para ser exemplo ao mundo.

Exemplo para o mundo Porto Alegre foi quando os porto-alegrenses eram ouvidos em assembleias populares. Era o Orçamento Participativo (OP). Com o tempo, o OP foi sendo assimilado como trivial, e o trivial os políticos já não veem com os mesmos olhos e nem fazem com o mesmo afinco. Até que, por fim, já nem seja mais referência.

Em tempos de neoliberalismo na economia e de protofascismo na política, mais do que nunca, é tempo de ouvir o que o povo tem a dizer.

O Congresso do Povo não é a panaceia unificadora de lados opostos, ideologicamente radicalizados, mas sim espaço de encontro dos que sabem que a vida dos cidadãos e o exercício dos seus direitos, incluindo saúde, educação, emprego, segurança, moradia digna e outros, se dá nas cidades. Direitos que hoje, mais do que nunca, estão ameaçados pelo desmonte de sistemas nacionais como o Sistema Único de saúde (SUS), Sistema Único de Assistencia Social (SUAS), Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e pela ânsia privatista dos que se apossaram do Estado através de eleições movidas a manipulações midiáticas e mentiras elevadas a enésima potência através das Redes Sociais.

O Congresso do Povo não é um evento. É um Instrumento que tem vias presenciais e terá vias virtuais para que o povo possa falar de suas demandas e que também possa sugerir formas de resolver.

E os governantes que ouçam e usem os recursos públicos para fazer o que o povo quer e precisa. E não que saia gastando os recursos com demagógicas propagandas de uma cidade fictícia que pode até vir a ter roda gigante na Orla do Guaíba, mas cujo povo, muitas vezes, não tem nem o dinheiro para pagar a passagem do ônibus urbano mais caro do Brasil para ir na roda gigante.

Vamos ao Congresso do Povo de Porto Alegre:

Congresso do Povo é um novo momento para Porto Alegre dialogar sobre os problemas enfrentados por sua população e buscar soluções coletivas. Com este objetivo nasce o Congresso do Povo, que realizou sua primeira atividade ainda em dezembro de 2019 e inicia 2020 com várias agendas.

Nessa terceira plenária, que ocorre nesta terça-feira (14), às 18h, na sede do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre – Simpa (R. João Alfredo, 61 - Cidade Baixa, Porto Alegre), a ideia é apresentar as propostas das dinâmicas e metodologias acumuladas até o momento e os grupos de trabalhos constituídos para levar o trabalho adiante.

Estamos muito animados e trabalhando com todo gás, mesmo nesse calorão. Gostaríamos muito de contar com tua participação nessa construção. Vamos fazer, juntxs, uma nova página da história da nossa cidade. Te esperamos lá.

Edição: Marcelo Ferreira