Kibe com casca de banana evita o desperdício de alimentos

Imagem do logo do Podcast

Ouça o áudio:

O sítio São João é uma referência na Agroecologia do Brasil. - Foto: Daniel Lamir
É uma matéria que é extremamente rica, que só tem a contribuir

Que tal um país com mais cascas de banana? Pois é, temos o costume de jogar no lixo um alimento nutritivo e importante para a nossa saúde. É comum se falar sobre os benefícios da fruta banana, mas nem tanto sobre os nutrientes que estão na sua casca. A produtora agroecológica Verônica de Paula Pinto beneficia a banana através de bolos e doces. Até que um dia identificou que algo estava sendo desperdiçado nesse processo. 

“Sempre acabava sobrando uma quantidade grande de casca, e a gente ficava naquela: ‘poxa, será que tem alguma coisa que pudéssemos fazer com a casca da banana?'. Foi quando vimos algumas alternativas em que em alguns lugares as pessoas comem a casca da banana para substituir a carne, como fonte nutricional mesmo. Isso foi despertando essa curiosidade de como trabalhar mais e mais com a casca da banana”, lembra Verônica.

Foi dessa curiosidade que surgiu o kibe de banana, produzido pela Associação Terra e Vida, localizada no sítio São João, na cidade de Abreu e Lima (PE). O kibe leva a casca da banana em substituição à carne moída.

Se engana quem imagina um preparo muito complicado. 

“É uma receita padrão, na qual você pega a casca, corta, escalda para tirar o excesso do tanino - que provoca o gosto amargo - e depois você tempera como uma carne, a gosto. Depois que a carne da casca de banana está pronta, aí você faz o kibe, que não tem mistério nenhum”, explica a produtora.

Apesar da simplicidade no preparo, o kibe de banana da Terra e Vida passou por algumas etapas até chegar no, digamos, ponto certeiro do gosto. Ao mesmo tempo, a produtora cita que o consumo das cascas de banana possuem valores nutricionais importantes para as nossas vidas. 

“A gente sabe que a casca de banana possui um teor de minérios muito maior que a própria polpa da fruta. Ela também possui uma quantidade muito elevada e rica de vitamina B6, magnésio, potássio. Tudo que possui na banana, mas na casca é bem mais elevado. Além de ser uma fonte riquíssima de fibras, o que vai auxiliar na movimentação do nosso intestino e na nossa digestão”, explica Verônica. 

E não para por aí. A casca de banana utilizada como carne é também rica em proteínas e com baixo percentual calórico. Verônica cita ainda que durante a pesquisa para preparar os alimentos descobriu que a utilização da casca é importante para prevenir doenças como câncer e complicações cardiovasculares, além de ajudar na redução da diabetes.        

Além desses benefício do kibe, a Associação Terra e Vida utiliza a casca de banana para produzir recheios de pastéis, sanduíches e tortas. Essas receita segue as tendências veganas. Mas, ao mesmo tempo, acende luzes como propostas políticas para o desafio do direito à alimentação no país.

Hoje em dia, a produtora conta que, devido à consciência agroecológica adquirida, lhe causa estranhamento ver cascas de banana serem depositadas em lixeiras.

“O meu sentimento, hoje, quando vejo as pessoas jogando a casca de banana fora, é de que elas estão jogando saúde. É uma matéria que é extremamente rica, que só tem a contribuir. Dependendo do local que você for descartar, no máximo, a produção que você vai ter é de húmus para alimentar as vidas microbianas do solo. Mas esse nutriente poderia ser para você, diretamente”, ressalta a produtora.

Para quem mora na capital pernambucana, Recife, a dica para provar o kibe de banana e outros produtos da associação Terra e Vida é chegar cedinho na Feira Agroecológica do bairro Madalena. A feira funciona semanalmente, a partir das primeiras horas dos sábados. 

Edição: Geisa Marques