REFORMA AGRÁRIA

Maior produtor da América Latina, MST inicia colheita do arroz orgânico no RS

Estimativa é colher mais de 15 mil toneladas; Festa da Colheita, em março, terá presença do ex-presidente Lula

Brasil de Fato | Porto Alegre (RS) |
arroz agroecológico mst rio grande do suk
300 mil sacas: produção abrange 14 assentamentos da Reforma Agrária em 11 municípios gaúchos - Alex Garcia

A colheita do arroz orgânico da safra 2019/2020 já iniciou no Rio Grande do Sul. Os trabalhos ocorrem desde sábado (22) no Assentamento Filhos de Sepé, em Viamão, na região Metropolitana de Porto Alegre.

Informações do Grupo Gestor do Arroz Agroecológico, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), mostram que a produção abrange 14 assentamentos da Reforma Agrária situados em 11 municípios gaúchos.

A estimativa é colher mais de 300 mil sacas do alimento, numa área total de 3.215 hectares. O cultivo, que ocorre em sistema pré-germinado, é de 364 famílias. Esses dados colocam o MST na posição de maior produtor de arroz orgânico da América Latina, conforme o Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga).

A colheita iniciou em Viamão no lote de André Oliveira da Luz e Neusa Amador da Luz, onde há 12 hectares de lavoura destinados ao plantio de arroz orgânico. A estimativa do casal é colher mil sacas no local.

De acordo com o Grupo Gestor, a região Metropolitana produz a maior parte do arroz livre de agrotóxico do MST. O Assentamento Filhos de Sepé tem a maior área plantada – 1.150 hectares – e 124 famílias envolvidas. Segundo o assentado Osmar Moura, que acompanha a colheita no município, lá a estimativa é colher 100 mil sacas.

Festa da Colheita com Lula

O MST já tem data para a 17ª Festa da Colheita do Arroz Agroecológico. Será no dia 20 de março, numa sexta-feira, no Assentamento Capela, em Nova Santa Rita, também na região Metropolitana de Porto Alegre.

Este ano o evento, que já tem a presença confirmada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, reforçará a necessidade de preservar a natureza. Durante todo o dia terá atividades, entre elas estudos, colheita simbólica de arroz na lavoura, ato político e feira de produtos da Reforma Agrária.

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Marcelo Ferreira e Rodrigo Chagas