Trabalho

No Paraná, mulheres ganham 28% a menos do que os homens

O Paraná é o segundo estado brasileiro no ranking de desigualdade salarial elaborado pelo IBGE

Brasil de Fato | Curitiba (PR) |
Por conta dos salários menores durante o tempo de contribuição, o valor médio de aposentadoria das mulhers também é 17% menor - Giorgia Prates

As mulheres paranaenses ganham 28% a menos do que os homens. É o que aponta pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Elas recebem R$ 2.045 mensais em média contra R$ 2.831 dos homens. O valor é também o menor entre os três estados do sul.

A diferença coloca as trabalhadoras do Paraná em segundo lugar no ranking de desigualdade de rendimentos, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A estatística negativa é liderada pelo Mato Grosso do sul, onde a diferença salarial atinge 30%. 

No Paraná, 55,3% das trabalhadoras têm registro formal. A taxa de desocupação chega a 8,6% enquanto que a dos homens é de 6,2%. No cenário nacional, 13,1% são desempregadas frente a 9,2% de desempregados. Das trabalhadoras, 27,9% sequer conseguem contribuir para a previdência social.

Com rendimentos inferiores aos recebidos pelos homens, a contribuição para a previdência das mulheres também é menor, impactando no valor das aposentadorias. Em média, a aposentadoria das mulheres foi 17% menor do que a dos homens. 

Quando empregadas, as mulheres ainda sofrem com a jornada dupla e a desigualdade salarial. As mulheres gastam 95% mais tempo em afazeres domésticos do que os homens.

Fonte: BdF Paraná

Edição: Ana Carolina Caldas e Rodrigo Chagas