Comprar em feiras agroecológica possibilita usar todas as partes do alimento

Imagem do logo do Podcast

Ouça o áudio:

Além da economia, comprar em feiras dá mais possibilidades para a culinária - Arquivo: Centro Sabiá
Folhas dos legumes e frutas podem ser aproveitadas em sucos, temperos e farofas

É mais barato comprar alimentos nas feiras agroecológicas ou nos supermercados? Geralmente, quem frequenta as feiras agroecológicas tem a resposta na ponta da língua. Uma dessas pessoas é a soteropolitana Luciana Rios, que é comunicadora de formação e militante pela agroecologia. Na capital baiana, Luciana frequenta pelo menos três feiras orgânicas e agroecológicas, como a Feira do Parque da Cidade, Feira da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e a Feira da Assembleia Legislativa da Bahia. 

Considerando os aspectos de qualidade dos alimentos, consciência política e condição de comercialização, Luciana não tem dúvidas que é bem mais barato comprar nas feiras agroecológicas. Militante pelo alimento como ato político e paixão, ela utiliza a troca de saberes com as próprias famílias que comercializam nas feiras para saber como aproveitar ao máximo os alimentos.       

“Os produtos são mais baratos e eu consigo aproveitar as folhas da cenoura, beterraba, cebola, rabanete e de outros, no mercado a gente não encontra isso. A gente compra a raiz pela raiz, a verdura pela verdura. Na feira [agroecológica] a gente está pagando essas raízes e ainda traz a folhinha junto”, compara Luciana Rios que também é vegana.

Além de evitar o desperdício, a consumidora também ressalta que a escolha pelas feiras agroecológicas é um caminho para valorizar a agricultura familiar. Quando comparada a quem compra em redes de supermercado, Luciana fica bem mais longe de consumir alimentos processados como, sucos, temperos e farofas. O aproveitamento das folhas garante mais uma opção de alimentos de verdade para a nutrição e a saúde. 

“Uma sugestão é utilizar em sucos verdes, misturando com outras frutas, da mesma maneira que a gente usa com o couve, hortelã ou agrião. Outra maneira é usar as folhas é fazer um refogadinho para misturar no arroz ou fazer uma farofa”, sugere a militante agroecológica.    

Luciana gosta de compartilhar dicas de alimentação saudável em muitos espaços de convívio. Não vai ser diferente com o refogado que ela prepara e pode ser aproveitado indo a alguma das milhares de feiras agroecológicas pelo Brasil.  

“É muito fácil. É só dourar numa frigideira um ou dois dentes de alho, uma cebola média - a depender da quantidade de folha que você tenha -, no azeite de oliva. Depois joga as folhas bem picadinhas, pode jogar um sal, pimenta do reino - o que você quiser para temperar. Quando as folhas começarem a dar uma murchada, mas não muito, está pronto. Não é bom deixar murchar demais para não perder os nutrientes. Podemos desligar o fogo e comer, assim mesmo como um acompanhamento ou misturar no arroz, ou jogar uma farinha de mandioca para fazer uma farofa bem crocante”, explica Luciana.   

Vale lembrar que, quanto menos processado, mais nutritivo e saudável é um alimento. Além disso, os produtos das feiras orgânicas ou agroecológicas não levam os venenos dos agrotóxicos.

 

Edição: Lucas Weber