BDF em Casa

"Exigir que 1,6% do PIB vá para o povo é bastante razoável", afirma Douglas Belchior

Educador popular e um dos formuladores da Renda Básica foi o convidado desta segunda-feira (30) no programa BdF em Casa

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |
Douglas Belchior arquivo pessoal
Segundo Belchior, a celeridade do processo de tramitação da matéria só encontrou eco no Congresso "porque foi pautada em regime de urgência" - Arquivo Pessoal

A proposta de Renda Cidadã aprovada no Congresso Nacional nesta segunda-feira (30), que destina de R$ 600 a R$ 1.200 para trabalhadores informais pelos próximos três meses, em decorrência da pandemia de coronavírus no Brasil, "é extremamente moderada", afirma o educador popular Douglas Belchior. 

Continua após publicidade

Professor da Uneafro, rede de articulação e formação de jovens e adultos moradores de regiões periféricas do Brasil e uma das lideranças da Coalização Negra por Direitos, grupo que reúne articulações do movimento negro pelo mundo, Belchior foi o convidado da edição desta segunda-feira (30) do BdF em Casa, produção do Brasil de Fato durante a quarentena de combate à propagação do coronavírus no país.

O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 17h, no canal do YouTube do BdF e no Facebook.

Segundo Belchior, a celeridade do processo de tramitação da matéria só encontrou eco no Congresso "porque foi pautada em regime de urgência" e não é, de maneira alguma, um peso para os cofres do governo. 

"Exigir que 1,6% do PIB seja destinado, por seis meses, para cerca de 80 milhões de brasileiros, é bastante razoável", explica.

O projeto agora segue para as mãos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que precisa autorizar o início da vigência da matéria.

O educador ainda comentou sobre a chegada da pandemia de coronavírus às periferias. Segundo Belchior, "é uma doença terrível e quando a gente politiza, piora. Porque a gente sabe quem mais vai sofrer essas mazelas".

"Não é uma novidade para nós, para as periferias, termos um sistema de saúde que não consegue nos atender e nos deixe morrer", afirma.

Assista ao programa BdF em Casa na íntegra:

Edição: Leandro Melito