BALANÇO

Coronavírus: Rio Grande do Sul tem 1.256 casos confirmados da doença e 45 mortes

Doença já é registrada em 129 municípios gaúchos; mortes por sÍndrome respiratória aumentaram 602% no estado em 2020

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Em todo o Brasil, já são 4.543 mortes e 66.501 casos confirmados para covid-19 - Mário Oliveira/Semcom

Com mais três óbitos confirmados pela Secretaria Estadual da Saúde (SES), na noite desta segunda-feira (27), já são 45 vítimas fatais em decorrência da covid-19 no Rio Grande do Sul. Desde o início da pandemia, já foram confirmados 1.256 casos de coronavírus no estado, em 129 municípios, sendo que 784 são considerados recuperados e 427 ainda estão em tratamento.

Duas das mortes anunciadas pela SES foram em Passo Fundo, que já soma 11 falecimentos. Uma delas foi uma mulher de 83. Com registro de doença cardiovascular crônica, ela estava internada no Hospital de Clínicas. A outra foi de um homem de 84 anos, que tinha doença neurológica crônica e estava internado no Hospital São Vicente de Paulo. Ele vivia no asilo Lar Nossa Senhora da Luz, que registra um surto de covid-19, com 18 infectados.

Conforme informou a Secretaria de Saúde de Passo Fundo, o homem era considerado recuperado do coronavírus. Seu exame havia apontado que já tinha anticorpos e ele faleceu por outro problema de saúde. Porém, como teve o vírus, foi incluído na lista de óbitos da covid-19.

:: Subnotificação: país tem 33 mil internações a mais em 2020 por doenças respiratórias ::

O terceiro óbito confirmado pela SES é de uma mulher de 84 anos, residente no município de Lajeado. Ela tinha doença cardiovascular e diabetes e internada no Hospital Bruno Born. É o terceiro falecimento por covid-19 na cidade.

A capital gaúcha registra a maior parte dos casos confirmados da doença, com 430 pacientes e uma taxa de incidência de 29 casos a cada 100 mil habitantes. Em seguida aparece Passo Fundo, com 103 casos confirmados e uma taxa de 52 pacientes infectados a cada 100 mil habitantes.

:: Ministério da Saúde prevê pico do coronavírus no Brasil dentro de duas a nove semanas ::

Lajeado aparece em terceiro, com 56 casos confirmados e taxa de incidência de 71 infectados a cada 100 mil habitantes. Em seguida aparecem Marau, com 49 casos de covid-19 e taxa de incidência de 121 infectados a cada 100 mil habitantes, e Caxias do Sul, com 48 e taxa de incidência de 10 infectados a cada 100 mil habitantes. A média de incidência no Brasil é de 29,49 e a do Rio Grande do Sul é de 11,04.

Aumento de mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave

Conforme dados da SES, houve um grande aumento no registro de mortes e de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no estado em 2020. Com um crescimento de 602%, o número de óbitos saltou de 37 em 2019 para 260 neste ano, considerando do início do ano até 18 de abril.

:: Maria Rita Khel: "Não poder ver o corpo de alguém que perdeu é uma tortura" ::

Apesar disso, SES avalia que não existe subnotificação tão grande e que o alto nível refere-se a um maior nível de notificação das síndromes respiratórias em geral em razão do alerta provocado pela pandemia na rede de atendimento.

Números no país

Em todo o Brasil, conforme divulgado pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (27), já são 4.543 mortes, 338 a mais que o registrado no domingo (26). O número de casos confirmados está em 66.501, 4.613 casos a mais que o registrado no domingo.

Os registros de morte por SRAG aumentaram 1.012% desde o dia 16 de março no Brasil. A estatística se baseia nas Declarações de Óbito preenchidas pelos médicos que constataram os falecimentos. Sintomas respiratórios graves estão na lista de principais complicações causadas pelo coronavírus ao organismo humano.

Os dados estão disponíveis no novo Portal da Transparência do Registro Civil, lançado nesta segunda-feira (27) e administrado pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen- Brasil). Anteriormente, a plataforma trazia apenas as mortes suspeitas ou confirmadas por covid-19. Agora estão disponíveis também os registros por SRAG, Pneumonia, Septicemia, Insuficiência Respiratória e Causas Indeterminadas.

Mundo

No mundo, o número de casos confirmados ultrapassou os 3 milhões, de acordo com o centro de pesquisas da Universidade John Hopkins, referência nos registros da covid-19 no mundo. As mortes passam de 200 mil em todo o planeta.

Os Estados Unidos é o país mais afetado, com quase 1 milhão de casos confirmados e pouco mais de 55 mil mortes. Em seguida está a Espanha, com quase 250 mil confirmações e mais de 23 mil mortes.

Diversos países estão começando ou avaliando iniciar um relaxamento das medidas de isolamento. O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu cautela aos ministros da Saúde do G20, em reunião por videoconferência neste domingo (19). A reunião tinha a pandemia do novo coronavírus como tema e contou com a participação do ministro da Saúde do Brasil, Nelson Teich.

O que é coronavírus?

É uma extensa família de vírus que podem causar doenças tanto em animais como em humanos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em humanos, os vários tipos de vírus podem causar infecções respiratórias que vão de resfriados comuns, como a síndrome respiratório do Oriente Médio (MERS) a crises mais graves, como a síndrome respiratória aguda severa (SRAS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença covid-19. 

Como ajudar a quem precisa?

A campanha “Vamos precisar de todo mundo” é uma ação de solidariedade articulada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo. A plataforma foi criada para ajudar pessoas impactadas pela pandemia da covid-19. De acordo com os organizadores, o objetivo é dar visibilidade e fortalecer as iniciativas populares de cooperação.

Como tirar dúvidas?

A Secretaria Estadual da Saúde recomenda à população e aos profissionais de saúde do RS que entrem em contato com a vigilância epidemiológica de seu município para esclarecimento de dúvidas. Nos horários que as repartições municipais não estiverem atendendo ao público, está disponível o telefone 150 - Disque Vigilância da SES. Questionamentos podem ser encaminhados também para o email [email protected]

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Leandro Melito e Marcelo Ferreira