alta exposição

Enfermeiros colocam 98 cruzes em praça de Belo Horizonte simbolizando colegas mortos

Ato reivindicou melhores condições de trabalho aos profissionais da saúde e reforçou necessidade da quarentena

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG) |
enfermeiros ato bh
Em vídeo ao vivo, enfermeiras e enfermeiros colocaram cruzes no principal monumento de Belo Horizonte, na Praça Sete - Comunicação Sindibel

Trabalhadores da enfermagem de Belo Horizonte realizaram ato no início da tarde desta terça-feira (12) para reivindicar melhores condições de trabalho. A manifestação aconteceu na Praça Sete, Centro da capital mineira, e o pirulito foi coberto por cruzes que simbolizam as 98 mortes de profissionais de enfermagem por covid-19 desde que a pandemia chegou ao Brasil.

:: No dia da enfermagem, Brasil é líder mundial em mortes de profissionais por covid-19 ::

São 25 óbitos de enfermeiros, 56 de técnicos e 17 de auxiliares de enfermagem, de acordo com o Observatório da Enfermagem do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). Desses, 67% são mulheres. O número de casos no Brasil já é maior do que nos Estados Unidos, que contabiliza 91 mortes de profissionais da enfermagem. Em todo o mundo, 260 profissionais morreram. 

:: Receba notícias de Minas Gerais no seu Whatsapp. Clique aqui! ::

No estado de Minas Gerais, uma morte foi confirmada, assim como 429 casos de enfermeiros e enfermeiras infectados. Em Belo Horizonte, pelo menos 64 profissionais da saúde contraíram covid-19 e 111 casos estão em investigação.

Na manifestação deste 12 de maio, Dia Internacional da Enfermagem, os profissionais afirmaram que "não há o que comemorar". Além de denunciarem os baixos salários e valores de insalubridade, também pediram pela manutenção do isolamento social para evitar mais mortes da população em geral e dos trabalhadores da saúde.

O ato foi transmitido ao vivo pelo Facebook.

Fonte: BdF Minas Gerais

Edição: Raíssa Lopes e Vivian Fernandes