petrobras

No Ceará, 42 dos 45 petroleiros do campo de Xaréu estão com covid-19

Sindicato cobra providências da Petrobras; profissionais foram isolados em um hotel em Fortaleza

Brasil de Fato | Fortaleza (CE) |
O campo de Xaréu está localizado a cerca de 50 quilômetros da costa de Paracuru, na Região Metropolitana de Fortaleza - Divulgação / Petrobras

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Petróleo no Ceará/Piauí (Sindipetro CE/PI) informou, nesta terça-feira (12), que 42 dos 45 trabalhadores do campo de exploração marítima de Xaréu, no litoral cearense, testaram positivo para a covid-19. Eles se encontram isolados em um hotel em Fortaleza. O campo de Xaréu está localizado a cerca de 50 quilômetros da costa de Paracuru, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Após a divulgação dos casos e dada gravidade das denúncias apresentadas, o Sindicado informou que o procurador do Ministério Público do Trabalho Carlos Leonardo determinou a conversão da denúncia do Sindipetro CE/PI em procedimento preparatório para inquérito civil. O procurador solicitou informações imediatas à Petrobras, assim como a notificação da Secretaria Estadual de Saúde, a Promotoria da Saúde, a Promotoria da Comarca de Paracuru e a Vigilância Sanitária.

:: Petrobrás decide encerrar exploração marítima no Ceará, em meio à pandemia ::

Documento repassado pela assessoria de comunicação do Sindipetro CE/PI com posicionamento da diretoria sobre os casos demonstra a preocupação com os trabalhadores por conta do aumento de casos de covid-19 confirmados no estado. Um trecho do documento informa: “Permeia entre a força de trabalho um misto de perplexidade e revolta, insegurança, ansiedade e o medo que beira o próprio pânico diante do risco grave e iminente de contágio ao constatar o descaso, o despreparo e as aproximações sucessivas dos casos de contaminação ao redor”.

O arquivo traz diversos pontos que demonstram essa preocupação como, por exemplo: “Contrariando as reiteradas vezes em que solicitamos, em momento algum as equipes foram submetidas a testes de qualquer natureza, nem para o embarque e muito menos no desembarque mesmo com casos suspeitos na mesma plataforma”.

Entenda o caso

De acordo com o Sindipetro CE/PI, no dia 2 de maio, houve as primeiras queixas de febre e dores por parte de três trabalhadores em uma plataforma denominada PXA1. De lá até 5 de maio, desembarcaram cinco trabalhadores apresentando sintomas de covid-19. O Sindicato informa que os trabalhadores que permaneceram embarcados e tiveram contato direto com esses cinco estão sendo mantidos isolados internamente. 

Uma plataforma interligada à PXA1, que fica dentro mesmo campo de petróleo de Xaréu, denominada PXA2, também foi atingida pelos efeitos do coronavírus e, assim como a PXA1, também se contra desabitada. Além disso, segundo informações do Sindicato, um dos empregados sintomáticos chegou a adentrar em uma terceira plataforma, denominada PAT3, que atualmente encontra-se normalmente habitada.

Fonte: BdF Ceará

Edição: Vivian Fernandes e Monyse Ravena