MORADIAS PRECÁRIAS

Após fortes chuvas, 94 famílias ficam sem casa na periferia de João Pessoa (PB)

“Fica difícil, em meio à pandemia, a gente enfrentar tudo isso”, desabafou uma das moradoras que teve casa alagada

Brasil de Fato | João Pessoa (PB) |
Alagamento na Comunidade Nova Jerusalém, no bairro de Gramame, em João Pessoa (PB) - Reprodução

As fortes chuvas que banharam, esta semana, João Pessoa, capital da Paraíba, deixaram muitos estragos especialmente nas periferias da cidade. Desde quinta-feira (14), moradores da comunidade Nova Jerusalém, no bairro de Gramame, vêm mostrando sua indignação com a situação das moradias, tomadas pelas águas da chuva. Ao todo, 94 famílias foram afetadas.

Móveis, eletrodomésticos, utensílios de uso pessoal, quase tudo foi danificado em boa parte da casas que aparecem nos vídeos feitos pelos próprios moradores. “Fica difícil, em meio à pandemia [de coronavírus], a gente enfrentar tudo isso”, desabafou Maria das Dores, uma das moradoras atingidas pelas águas.

 

Os barracos, que já eram problemáticos e frágeis de estrutura, ficaram em situação ainda mais delicada. As famílias ficaram desoladas, sem móveis e sem lugar para ficar, o que se torna ainda mais grave quando acrescentamos à situação a quarentena de covid-19.

 

Os moradores aguardam que o Estado possa apoiá-los e pedem que prefeitura de João Pessoa e governo da Paraíba possam resolver a precariedade em que se encontram.

 

 

Taís da Silva, moradora de Nova Jerusalém, lembrou que uma das moradoras do local está prestes a chegar, na comunidade, após dar à luz. A mãe, que está de resguardo, vai encontrar sua casa sem condições de acolher a ela e à criança.

 

Um caso suspeito de coronavírus já foi registrado na comunidade de Nova Jerusalém. No entanto, com as moradias sem nenhuma condição de abrigar pessoas, não pode existir isolamento social.

Fonte: BdF Paraíba

Edição: Vivian Fernandes e Heloisa de Sousa