ORGANIZAÇÃO POPULAR

Geladeira solidária é instalada em município na região metropolitana de João Pessoa

Iniciativa do coletivo Cabedelo Forte quer ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade a vencerem pandemia

Brasil de Fato | João Pessoa (PB) |
Geladeira Solidária "recebe" e "entrega" doações em região movimentada de Cabedelo (PB) - Reprodução

"Doe se puder, leve se precisar"! Este é o lema da campanha Geladeira Solidária, desenvolvida em Cabedelo, na região metropolitana de João Pessoa, na Paraíba. O eletrodoméstico comunitário foi instalado no bairro de Camalaú, em uma rua movimentada que dá acesso à balsa que liga Cabedelo à Lucena, também na região metropolitana.

A geladeira foi uma forma também de proteger quem doa e quem precisa, evitando o contato social durante a pandemia. Há três regras na campanha: pegar, no máximo, três itens para que todos possam ser beneficiados; os alimentos doados não podem ser perecíveis e devem estar dentro do prazo de validade.

::Conheça outras ações de solidariedade em tempos de pandemia:

A iniciativa é do coletivo Cabedelo Forte, que se formou no contexto da pandemia. O grupo começou com sete integrantes, que perceberam a situação difícil que muitas famílias da cidade estavam enfrentando.

"Diante do atual cenário de crise política e sanitária, e, tendo em vista a insuficiência das ações dos governos em atender e subsidiar financeiramente a população, para que ela possa ficar em casa, entendemos por bem focar nossa atuação no âmbito da solidariedade para que nossas vidas sejam preservadas", explicou a microempresária Andréa Miranda, uma das integrantes do Coletivo Cabedelo Forte.

::Brasil ultrapassa 45 mil mortes pela covid-19; SP registra record de óbitos::

Mais pessoas solidárias

A iniciativa contagiou e agora o coletivo já tem 26 integrantes. Outras ações também já foram realizadas, como a distribuição de cerca de 300 cestas básicas em quatro comunidades. 

Apesar de Cabedelo ter o terceiro maior Produto Interno Bruto (PIB) do estado da Paraíba, o coletivo avalia que isso é pouco revertido para o povo da cidade.

"Buscamos organizar a luta social e conquistar mandatos populares que representem efetivamente as demandas das comunidades, da classe trabalhadora e das minorias. Para nós, a  solidariedade é um princípio revolucionário que guia a nossa luta e a nossa aproximação com as comunidades. Só a luta unificada do povo poderá levar às transformações necessárias para a construção de uma Cabedelo justa para todos e todas que nela vivem", reforçou Andréa.


Campanha Geladeira solidária funcionou bem e conseguiu adesão da população em torno da solidariedade aos que mais precisam. / Reprodução

Para Renálide Carvalho, também integrante do coletivo, a experiência de participar da campanha de solidariedade é enriquecedora.

"Tanto pelo aprendizado de estar em contato com as comunidades que vivem sob condições precárias, pois essas pessoas, tão necessitadas do básico, sempre nos dão aulas sobre humanidade, como também no sentido da minha experiencia pessoal enquanto militante. Isso ajuda a entender que a luta deve cada vez mais se voltar para as bases, para a construção de uma revolução solidária, que atente para as necessidades dos mais pobres e escute suas demandas".


Grupo Coletivo Cabedelo Forte organizando as doações para as famílias que precisam. Renálide Carvalho (à esquerda). / Reprodução

Doações

Para doar alimentos para o coletivo Cabedelo Forte basta entrar em contato com o grupo pelas redes sociais no @coletivocabedeloforte.

Fonte: BdF Paraíba

Edição: Raquel Júnia e Heloisa de Sousa