Fome

Programa Bem Viver repercute aumento da pobreza extrema na América Latina e Caribe

De acordo com a FAO, mais de 83 milhões de pessoas devem voltar ao mapa da fome ainda esse ano

Ouça o áudio:

Pandemia do coronavírus não é o único motivo que leva pessoas a extrema pobreza, de acordo com a Organização das Nações Unidas. - Foto: Agência Brasil

Mais de 83 milhões de pessoas estarão em condições de extrema pobreza na América Latina e no Caribe ainda esse ano. O dado é da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). O diretor do Centro de Excelência Contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU (WFP, na sigla inglês) no Brasil, Daniel Balaban, conversou com a jornalista Lú Sudré e afirmou que a pandemia não é o único fator para o aumento desses números. 

O Plano Safra, lançado na última semana pelo governo Bolsonaro, é alvo de críticas dos movimentos populares do campo por entenderem que a iniciativa não contempla pequenos agricultores, além de comunidades quilombolas produtoras de alimentos. Os incentivos para esses segmentos foi incluído por parlamentares da oposição em um projeto de Lei que tramita em situação de urgência na Câmara dos Deputados. A reportagem da jornalista Cristiane Sampaio traz as vozes de membros dessas categorias para você entender melhor a situação dos camponeses. 

A contabilização de mortes por covid-19 feita pelo governo brasileiro foi alvo de críticas ao tentar dificultar o acesso aos dados gerais da contaminação. Além de negar a população o direito de saber a real situação da pandemia, a tentativa afeta também o desenvolvimento de estudos e pesquisas. No quadro Repórter SUS, a professora-pesquisadora Bianca Leandro, da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz (EPSJV/Fiocruz), explica os impactos da falta de transparência na saúde pública.

E pela primeira vez, desde o início da pandemia, cidades do interior passaram a capital paulista em número de casos registrados. A situação revela a chamada interiorização dos casos, já prevista pelos especialistas. E no Pará, médicos cubanos estão sem receber salários do governo. Eles estão atuando na linha de frente do combate ao coronavírus no estado. Além deles, outros 34 médicos brasileiros aguardam pagamento. O Brasil de Fato solicitou esclarecimentos a assessoria do governador Helder Barbalho, mas não obteve retorno. 

 


Produção da Rádio Brasil de Fato vai ao ar de segunda a sexta-feira / Brasil de Fato / Bem Viver.

 

Sintonize

O programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG) e Rádio Pife, de Brasília (DF).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira, e nos aplicativos Spotify e Google Podcasts

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]


 

Edição: Camila Salmazio