Você viu?

Enxame de abelhas nas cidades? Programa Bem Viver explica por que isso tem acontecido

Desmatamento de áreas naturais obriga os insetos a se deslocarem a cidades para se reproduzirem, afirma especialista

Ouça o áudio:

Enxame de abelhas africanas (apis mellifera)  atacou idoso de 71 anos em Petrolina, Pernambuco; vítima não resistiu - Foto: Instituto Biológico
Diversas espécies de abelhas estão ameaçadas de extinção em decorrência de atividades antrópicas

O programa Bem Viver desta segunda-feira (28) fala sobre a ocorrência de enxames abelhas em áreas urbanas e explica quais são suas causas. No último dia 14, um idoso de 71 anos morador de Petrolina (PE) foi atacado por um enxame de abelhas e não resistiu. Em decorrência do desmatamento, os insetos migram para zona urbana buscando a sobrevivência da espécie, afirmam especialistas ouvidos pela reportagem. 

:: O mel e o fim das abelhas ::

Outra consequência do desmatamento ilegal abordada pelo Bem Viver foram as consequências dos incêndios no Pantanal para as comunidades locais, como por exemplo, os quilombolas. Moradores relatam estar sofrendo de problemas respiratórios em decorrência da intensa fumaça das queimadas. Só este ano, cerca de 3 milhões de hectares foram consumidos pelo fogo do Pantanal, correspondendo a 16% de toda área da região.

:: "Bolsonaro é o Nero dos incêndios na Amazônia", diz ambientalista Felipe Milanez ::

E no Momento Agroecológico, o programa conta a história de luta pela terra dos quilombolas de Sapê do Norte, cidade do Espírito Santo. Desde os anos 1960, a monocultura de eucalipto para fins industriais motivou diversos conflitos fundiários e o êxodo rural na região.

:: Artigo | (Agro)negócio e conservação ambiental: uma coalizão possível? ::

Também foi tema do programa o cadastramento de voluntários para testar a vacina contra o coronavírus produzida pela empresa Johnson & Johnson. Podem se inscrever pessoas maiores de 18 anos, moradores do Distrito Federal ou entornos. A primeira fase do teste vai contar com exames clínicos para comprovar se o voluntário teve covid-19. Somente quem não teve a doença passa para a próxima fase. 


Produção da Rádio Brasil de Fato vai ao ar de segunda a sexta-feira / Brasil de Fato / Bem Viver

Sintonize

O programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira, e nos aplicativos Spotify e Google Podcasts.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: Lucas Weber