negacionismo

Programa Bem Viver: quais os riscos do movimento antivacina para a saúde pública?

Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta movimento como ameaça para a saúde mundial

Ouça o áudio:

Movimento antivacina é apresentado como o principal responsável pelo reaparecimento de doenças que já haviam sido praticamente erradicadas, como é o caso do sarampo  - Ismael Francisco/Cubadebate
"As vacinas salvam 3 milhões de vida por ano, contabilizando cerca de 5 vidas por minuto"

O programa Bem Viver desta terça-feira (13) aborda as ameaças que o movimento antivacina representa para a saúde pública mundial. Para se ter uma ideia, neste ano, diversas campanhas de vacinação brasileiras não atingiram o patamar mínimo de imunização esperado. O quadro nacional abre margem para o ressurgimento de doenças consideradas como quase erradicadas. Para entender os perigos que este movimento representa, conversamos com o pesquisador Luiz Dias, professor do Instituto de Química da Universidade de Campinas (Unicamp).

:: Violência política cresce no país; mulheres são maior alvo de insultos e ameaças ::

No quadro Momento Agroecológico, o destaque é para a horta comunitária do Conjunto Habitacional Parque de Itajaí, na periferia de Campinas. A iniciativa que já recebeu um prêmio de responsabilidade ambiental, produz alimentos saudáveis por um preço acessível. Moradores destacam que o espaço também altera a dinâmica do cenário urbano. Segundo a assistente social Isabel Barbosa “é muito nítida a sensação térmica que se tem ao estar na calçada, fora da horta e adentrar o espaço do cultivo”.

:: Sem-terra transformam lixo em agrofloresta e alimentos saudáveis no interior de SP :: 

Outro assunto na edição é a Jornada Nacional de Alimentação que começou nesta segunda (12) e se estende até sexta-feira (16). Durante toda a semana, movimentos populares irão discutir alternativas para o combate à forme no país. O lançamento online da campanha contou com a participação de importantes personalidades dos movimentos populares sem-terra, indígena, quilombola e de sindicatos de trabalhadores. 

:: Bioinsumos: a alternativa aos agrotóxicos que vem do conhecimento do campo ::

Também é destaque no programa o decreto lançado pelo Governo Federal que remaneja alunos com deficiência da rede regular de ensino para escolas ou salas especiais. Especialistas criticam o projeto, considerando como uma segregação das pessoas com deficiência e representando um retrocesso de 30 anos nas políticas de inclusão. 


Produção da Rádio Brasil de Fato vai ao ar de segunda a sexta-feira / Brasil de Fato / Bem Viver

Sintonize

O programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira, e nos aplicativos Spotify e Google Podcasts.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

 

Edição: Daniel Lamir