INCENTIVO À LEITURA

Na Semana do Livro, Rede de Bibliotecas Populares é lançada no Recife

Campanhas Mãos Solidárias e Periferia Viva organizam inauguração; evento contará com presença de escritores locais

Brasil de Fato | Recife (PE) |
"Colocamos os livros como uma simbologia política, de trabalho que materializa ideias e deve ser acessado por todas e todos" - Fernando Frazão/Agência Brasil

Nos últimos quatro anos, o Brasil perdeu mais de 4,6 milhões de leitores, segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. Para tentar reverter esse cenário e incentivar a leitura, campanhas estão sendo mobilizadas para a Semana do Livro. Será lançada, neste sábado (24), a Rede de Bibliotecas Populares. A Rede é uma iniciativa da Campanha Mãos Solidária PE e Periferia Viva e busca arrecadar livros para destinar a bibliotecas populares. A inauguração acontecerá às 11h, no Armazém do Campo Recife (centro de Recife). 

Leia maisConheça a biblioteca popular criada pela comunidade do Coque, em Recife

Para o sábado, a programação terá a inauguração da Biblioteca Popular Paulo Freire, onde serão recebidas as doações de livros. Estarão presentes escritoras e escritores locais, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Armazém do Campo e as campanhas envolvidas. Além disso, haverá uma apresentação de prosa poética. Durante os próximos dias, serão inauguradas também as bibliotecas populares em bairros periféricos do Recife e da região metropolitana.  

A princípio, cerca de 500 livros já estão garantidos, através da parceira da Rede, a Editora Expressão Popular. No Dia Nacional do Livro, 29 de outubro, as primeiras bibliotecas instaladas começam a receber as doações. A editora também está com uma campanha nacional solidária através da internet para apoiar a doação de livros e das “mochilas militantes”, bolsas repletas de obras revolucionárias.

O coordenador da editora, Carlos Bellé, ressalta a importância de se ler o mundo e a necessidade de se conhecer a realidade para então entender o porquê das coisas. "Colocamos os livros como uma simbologia política, de trabalho que materializa ideias e deve ser acessado por todas e todos. E o livro, de certa maneira, possibilita que a partir dele você desenvolva também outras atividades. Seguimos muito o legado do Paulo Freire, da educação popular que diz que educar é um ato de amor”, explica. 

Leia tambémEm Fortaleza, biblioteca reúne 201 edições do Manifesto Comunista

Para fortalecer a arrecadação à distância, é possível colaborar pelo site da Expressão Popular ou entrando em contato através do e-mail: [email protected]
 
Como doar
Interessados em doar livros podem procurar a Biblioteca Popular Paulo Freire – Sede, no Armazém do Campo. Os livros podem ser de diversas áreas de conhecimento, como sociologia, história, filosofia e obras da literatura, sobretudo que instiguem reflexões sociais, organização popular e compromisso com um mundo melhor. 
 

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Vanessa Gonzaga