ANTIRRACISMO

Fórum Negro de Arte e Cultura homenageia as ancestrais e reforça a luta antirracista

A edição deste ano será totalmente virtual e conta com oficinas, mesas e apresentações artísticas

Brasil de Fato | Salvador (BA) |
O objetivo é continuar possibilitando trocas de experiências entre os participantes, além do fomento à revisão dos paradigmas. - Divulgação

A edição deste ano do Fórum Negro de Arte e Cultura (FNAC) acontece entre os dias 27 e 30 de outubro. O FNAC é uma realização das Escolas de Belas Artes, Dança e Teatro da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e, este ano, será transmitido virtualmente, trazendo o mote: “Mulheres Insubordinadas: uma saudação às grandes ancestrais”. As inscrições são gratuitas

A programação conta com ateliês, oficinas, mesas temáticas, apresentações de pesquisas, conferências e programação artística inspiradas pela temática negra. A proposta  é continuar possibilitando trocas de experiências entre os participantes, além do fomento à revisão dos paradigmas que, até então, orientam os currículos dos cursos das artes da UFBA e de outras universidades.

Em 2020, de acordo com os organizadores “o evento será em modalidade integralmente virtual, colaborando para movimento antirracista institucional e homenageando as candaces ancestrais e os processos afropluricentrados”.

Leia tambémDebate virtual celebra os 60 anos do livro Quarto de Despejo, de Carolina de Jesus

A abertura cerimonial é nesta terça-feira (27), às 9 horas, com apresentação do Ilê Aiyê e conferência inaugural com Vovó Cici, contadora de história e Griô do Espaço Cultural Pierre Verger.

O Fórum

O FNAC foi criado em 2017 pela Escola de Teatro e pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFBA, com o objetivo de reunir pesquisadores da área para refletir sobre a questão racial e as artes. O contexto de criação envolveu a pressão estudantil, a partir da necessidade de discutir sobre a presença e representatividade negra, tanto no corpo docente quanto nos conteúdos presentes no currículo dos cursos da Escola de Teatro.

Já na 2ª edição houve a parceria com a Escola de Dança e contou com participação de pesquisadores do Brasil e do exterior. Na edição de 2019, a parceria foi ampliada, envolvendo as Escolas de Belas Artes, Escola de Música, Faculdade de Comunicação, Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PROAE), Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos e Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC).

Fonte: BdF Bahia

Edição: Rebeca Cavalcante e Elen Carvalho