Sopro de mudança

Porto Alegre elege a Câmara mais feminina do Brasil, com quatro vereadoras negras

A partir de 2021, serão 30% de mulheres. Legislativo volta a ter vereadoras negras após 24 anos

Brasil de Fato | Porto Alegre |
Com apenas 16 reeleições entre as 36 vagas, houve renovação de 55,5% dos vereadores na Capital - Matheus Piccini/CMPA

O resultado da eleição municipal de 2020 mostra que os porto-alegrenses querem renovação de seus representantes políticos. Além do segundo turno não ter a presença do atual prefeito, Nelson Marchezan Junior (PSDB), trazendo Manuela D’Ávila (PC do B) como a esperança da esquerda em retornar ao Paço Municipal contra o candidato Sebastião Melo (MDB), que vai buscar apoio em partidos de direita e extrema direita, a Câmara de Vereadores de Porto Alegre em 2021 vai ter mais negros e mulheres. Além disso, houve uma renovação de 55,5% das cadeiras do plenário, já que somente 16 dos 36 vereadores se reelegeram.

Leia mais: São Paulo renova Câmara Municipal com mais mulheres negras e sem policiais militares

O grande destaque da eleição legislativa foi o PSOL, que emplacou três candidatos entre os cinco mais votados: a atual vereadora Karen Santos, suplente em 2016 que assumiu após Fernanda Melchionna ser eleita deputada federal, foi a vereadora mais votada, com 15.702 votos. Em segundo lugar está Pedro Ruas, com 14.478 votos. Matheus Gomes, que estreia no Legislativo, ficou na quinta colocação, com 9.869 votos.

Também fizeram votações expressivas Felipe Camozatto (Novo), reeleito com 14.279 votos, na terceira colocação. Seguido pela Comandante Nádia, que era do MDB e foi reeleita em seu novo partido, o DEM com 11.172 votos. A partir do sexto vereador mais votado, José Freitas (Republicanos), eleito com 5.929 votos, todos receberam menos de 6 mil votos.

Enquanto novos nomes foram eleitos, como Matheus Gomes (PSOL), Leonel Radde e Laura Sito (PT), Bruna Rodrigues e Daiana Santos (PCdoB), candidatos tradicionais de diversos partidos ficaram de fora. Entre eles, Marcelo Sgarbossa, Engenheiro Comasseto e Adeli Sel do PT, Reginaldo Pujol e Mendes Ribeiro do DEM e Wambert di Lorenzo e Paulo Brum do PTB, que ficaram na suplência.

A eleição neste ano foi marcada pela proibição de coligações entre partidos nas disputas proporcionais. Situação que levou ao aumento considerável no número de candidatos, que chegaram a 855 nomes. Em 2016, foram 600 candidatos.

Mulheres quase triplicam

O número de mulheres na Câmara aumentou quase três vezes em relação à eleição anterior, passando de 4 para 11. Com isso, o Parlamento vai contar com 30,5% de mulheres, consagrando Porto Alegre como a Capital com maior número de eleitas, seguida por Belo Horizonte (26,8%), Natal (24,14%) e São Paulo (26,63%). Confira as eleitas por ordem alfabética:

Bruna Rodrigues (PCdoB)

Cláudia Araújo (PSD)

Comandante Nádia (DEM)

Daiana Santos (PCdoB)

Fernanda Barth (PRTB)

Karen Santos (PSOL)

Laura Sito (PT)

Lourdes Sprenger (MDB)

Mariana Pimentel (NOVO)

Mônica Leal (PP)

Tanise Sabino (PTB)

Enegrecimento da Câmara

Das 11 mulheres eleitas, quatro são negras: Karen dos Santos (PSOL), Laura Sito (PT) e Bruna Rodrigues (PcdoB), além de Daiana Santos (PCdoB), que é lésbica e passa a ser a representante LGBTQI no plenário. O cenário marca outra mudança no perfil dos eleitos, já que apenas em 1996 Porto Alegre elegeu uma mulher negra à Câmara, Teresa Franco, conhecida como “Nega Diaba”. Fechando a bancada de vereadores negros eleitos, que passou de um eleito em 2016 para cinco neste ano, está Matheus Gomes (PSOL).

Leia também: Vereadoras negras e trans estão entre as candidaturas mais votadas em 13 capitais

Maioria de homens brancos

Apesar do aumento da diversidade no Parlamento porto-alegrense, a maioria dos eleitos é de homens brancos. Totalizam 24 mandatos, o equivalente a 66,6% das 36 cadeiras.

Nova composição partidária

A composição partidária também mudou, com aumento de siglas que conquistaram um acento, que passa de 15 para 18. Porém a relação entre partidos mais alinhados à esquerda e à direita se mantém, com 13 e 23 eleitos respectivamente.

No campo progressista, neste ano, o PSOL conquistou quatro cadeiras, uma a mais que em 2016. O PCdoB conquistou duas vagas e volta a ter vereador, após ficar de fora na eleição anterior. O PDT perdeu uma cadeira em relação a 2016 e está com duas. O PSB também, de dois passa para um eleito.

À direita, o PSDB apresentou o melhor resultado, passando de um eleito em 2016 para quatro. O MDB, que havia conquistado o maior número de acentos em 2016, com cinco eleitos, perdeu duas vagas. O PP também perdeu duas vagas, tendo conquistado apenas duas neste ano. Da mesma forma o PTB perdeu uma vaga, ficando com três acentos em 2021.

Confira a distribuição por partidos

PSOL - 4

PT - 4

PSDB - 4

MDB - 3

PTB - 3

PCdoB - 2

PDT - 2

Novo - 2

PP - 2

Republicanos - 2

Cidadania - 1

DEM - 1

PL - 1

PRTB - 1

PSB - 1

PSD - 1

PSL - 1

Solidariedade - 1

Lista de vereadores/as eleitos/as por ordem de votação

Karen Santos (PSOL) - 15.702 votos

Pedro Ruas (PSOL) - 14.478 votos

Felipe Camozzato (Novo) - 14.279 votos

Comandante Nadia (DEM) - 11.172 votos

Matheus Gomes (PSOL) - 9.869 votos

José Freitas (Republicanos) - 5.929 votos

Alvoni Medina (Republicanos) - 5.720 votos

Leonel Radde (PT) - 5.611 votos

Mauro Zacher (PDT) - 5.520 votos

Laura Sito (PT) - 5.390 votos

Bruna Rodrigues (PCdoB) - 5.366 votos

Tanise Sabino (PTB) - 5.205 votos

Jonas Reis (PT) - 5.133 votos

Roberto Robaina (PSOL) - 5.105 votos

Kaka D'ávila (PSDB) - 5.101 votos

Mauro Pinheiro PL - 4.947 votos

Fernanda Barth (PRTB) - 4.909 votos

Alexandre Bobadra (PSL) - 4.703 votos

Moisés Barboza Maluco do Bem (PSDB) - 4.703 votos

Aldacir Oliboni (PT) - 4.612 votos

Ramiro Rosário (PSDB) - 4.471 votos

Mônica Leal (PP) - 4.140 votos

Cláudia Araújo (PSD)- 4.071 votos

Marcio Bins Ely (PDT) - 4.002 votos

Jesse Sangalli (Cidadania) - 3.814 votos

Daiana Santos (PCdoB) - 3.715 votos

Ferronato (PSB) - 3.684 votos

Mariana Pimentel (Novo) - 3.637 votos

Cassiá Carpes (PP) - 3.492 votos

Cezar Schirmer (MDB) - 3.484 votos

Giovane Byl (PTB) - 3.440 votos

Gilson Padeiro (PSDB) - 3.404 votos

Hamilton Sossmeier (PTB) - 3.299 votos

Idenir Cecchim (MDB) - 3.110 votos

Lourdes Sprenger (MDB) - 2.522 votos

Claudio Janta (Solidariedade) - 2.394 votos


:: Clique aqui para receber notícias do Brasil de Fato RS no seu Whatsapp ::

SEJA UM AMIGO DO BRASIL DE FATO RS

Você já percebeu que o Brasil de Fato RS disponibiliza todas as notícias gratuitamente? Não cobramos nenhum tipo
de assinatura de nossos leitores, pois compreendemos que a democratização dos meios de comunicação é fundamental para uma sociedade mais justa.

Precisamos do seu apoio para seguir adiante com o debate de ideias, clique aqui e contribua.

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Katia Marko e Rogério Jordão