Homenagens

Morte de Maradona repercute entre líderes políticos no Brasil e na América Latina

Lula, Fernández, Kirchner, Evo Morales, Boulos homenagearam o ex-jogador no Twitter; acompanhe

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |
Diego Maradona durante encontro com o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu chanceler Celso Amorim na Venezuela em março de 2005 - Ricardo Stuckert / Planalto

A morte do ex-jogador Diego Maradona, nesta quarta-feira (25), teve repercussão imediata entre lideranças de esquerda na América Latina no Twitter. Acompanhe algumas das reações:

"Diego Armando Maradona foi um gigante do futebol, da Argentina e de todo o mundo, um talento e uma personalidade única. A sua genialidade e paixão no campo, a sua intensidade na vida e seu compromisso com a soberania latinoamericano marcaram nossa época", posto ou ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva.


"Você nos levou ao topo do mundo. Você nos fez imensamente felizes. Você foi o maior de todos. Obrigado por ter existido, Diego. Sentiremos sua falta para o resto da vida", postou o presidente argentino Alberto Fernández. 

"Muita tristeza ... Muita. Foi ótimo. Adeus Diego, nós te amamos muito. Um grande abraço aos seus familiares e entes queridos", postou a ex-presidente Argentina Cristina Kirchner.
 

"Muita tristeza, a lenda do futebol nos deixou, irmão e amigo incondicional da Venezuela. Querido e irreverente "Pelusa", você estará sempre no meu coração e no meu pensamento. Não tenho palavras no momento para expressar o que sinto. Adeus Pibe de América!", postou o presidente venezuelano Nicolás Maduro.

"Com uma dor na alma soube da morte do meu irmão Diego Armando Maradona. Uma pessoa que se sentiu e lutou pelo humilde, o melhor jogador de futebol do mundo", postou o ex-presidente boliviano Evo Morales.

"Lamentamos profundamente a morte sensível do grande 10 do futebol e irmão latino-americano Diego Armando Maradona. O mundo lamenta sua perda irreparável. Nossas condolências aos seus entes queridos e a toda a família do futebol", postou o atual presidente da Bolívia Luis Arce.

"Perdemos nosso querido http://Maradona.Um gênio do futebol e ativo participante da vida politica da argentina e da América latina. Esteve ao lado de todas as grandes causas. Em especial nos ajudou a enterrar a ALCA como plano dos gringos sobre o continente", postou João Pedro Stedile, da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

"Hoje perdemos Maradona, o "mais humano dos deuses", nas palavras de Galeano. Obrigado por tudo, gênio!", postou o candidato à Prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL).

Edição: Rogério Jordão e Leandro Melito