Caos

Falta de oxigênio e aumento de mortes por covid forçam toque de recolher em Manaus

Relatos dão conta de houve uma baixa significativa do número de cilindros de oxigênio na manhã desta quinta-feira (14)

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Segundo o governador Wilson Lima, está ocorrendo “algo sem precedentes no Estado do Amazonas" - AFP

Relatos de familiares de pacientes internados por covid-19 e profissionais da saúde em Manaus, na capital do Amazonas, indicam que a situação se agravou nas últimas horas devido à escassez de oxigênio. Segundo o presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas, Mário Vianna, em um vídeo publicado na internet, pacientes estão sendo mantidos vivos “pelo esforço dos profissionais médicos, enfermeiros e técnicos”. 

Continua após publicidade

“Uma situação terrível  que nós temíamos e denunciamos. Nesse momento, faço um apelo a todas autoridades que se unam para que possamos de forma emergencial encontrar solução. Transportar oxigênio de outros estados em caráter de guerra é uma necessidade para salvar vidas”, afirmou nas redes. 

O relato é o mesmo do pesquisador Jesem Orellana, da Fiocruz-Amazônia. Ao jornal Folha de S. Paulo, Orellana afirma ter recebido ligações de profissionais de saúde com informações graves. "Estão relatando efusivamente que o oxigênio acabou em instituições como o Hospital Universitário Getúlio Vargas e serviços de pronto atendimento, como o SPA José de Jesus Lins de Albuquerque”, afirma. Segundo Orellana, "há informações de que uma ala inteira de pacientes morreu sem ar".

Leia também: Justiça suspende realização do Enem no Amazonas, onde pandemia vem se agravando

De dentro do Hospital Universitário Getúlio Vargas, um dos médicos relatou nas redes sociais que pela manhã desta quinta-feira (14), de fato, houve uma baixa dos cilindros de oxigênio e a perda de pacientes. 

 

Em um outro vídeo publicado no Instagram, a psicóloga Thalita Rocha também relata que acabou o oxigênio em uma unidade de saúde de Manaus, no SPA e Policlínica Doutor José Lins. “Estamos em uma situação deplorável. Simplesmente acabou o oxigênio de toda uma unidade de saúde. Não tem oxigênio. É muita gente morrendo”, afirmou Rocha.

Toque de recolher

Diante dos acontecimentos das últimas horas, o governador Wilson Lima (PSC) decretou toque de recolher em Manaus, das 19h às 6h. Segundo Lima, está ocorrendo “algo sem precedentes no Estado do Amazonas", principalmente em relação à dificuldade para conseguir insumos e, mais especificamente, aquisição de oxigênio agora”.

Leia também: Manaus não abrirá escolas para a realização do Enem: "Não é viável", diz secretário

Até às 18h desta quarta-feira (13), foram registrados 5.879 óbitos e 219.544 casos por covid-19, de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). 

Edição: Leandro Melito