REPERCUSSÃO

Hostilizado no BBB, Lucas Koka recebe apoio de famosos, políticos e de sua comunidade

Ator, produtor e slammer foi acolhido do lado de fora após sofrer violência psicológica e bifobia dentro do reality

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Lucas Koka Penteado está com mais de 7 milhões de seguidores em seu Instagram, número maior do que os dos participantes que ainda estão na casa - Foto: Reprodução/Internet

O acolhimento e a solidariedade que Lucas Koka Penteado não recebeu durante o Big Brother Brasil 21 inundaram a vida do ator assim que ele saiu do reality exibido pela TV Globo. Após ter sofrido  violência psicológica, exclusão e bifobia ao assumir sua bissexualidade em rede nacional, o jovem recebeu inúmeros abraços e declarações de apoio fora da casa.

A decisão de Lucas, de deixar o programa durante a última madrugada de sábado para domingo após uma série de agressões verbais e comentários hostis de outros participantes, foi o principal tema das redes sociais no fim de semana.

Além das demonstrações de afeto de familiares e vizinhos da Bela Vista, bairro do centro de São Paulo onde mora, políticos e celebridades repudiaram a forma com que Lucas foi tratado por alguns participantes do jogo e manifestaram apoio ao slammer.

A começar pela escola de samba Vai-Vai, da qual Lucas é torcedor, que se pronunciou publicamente o elogiando. O jovem foi recepcionado por fãs ainda no aeroporto Santos Dumont, no Rio, onde ficam os estúdios do BBB, antes de embarcar para a capital paulista, e ganhou uma roda de samba em frente ao portão do seu prédio na primeira noite fora de casa. Os momentos foram registrados por vídeos retransmitidos pela própria Globo na noite do domingo (7).

O rapper Marcelo D2 publicou em seu twitter que a exclusão e violência psicológica vividas por Lucas durante as duas semanas no BBB são “exatamente o que acontece com todos os jovens de periferia todo dia no Brasil”. 

A ativista e cientista social Nátaly Néri declarou que Lucas foi corajoso ao decidir sair da casa ao ter sua sexualidade questionada e ser acusado de se apropriar inapropriadamente da bandeira LGBT ao dizer que temia ser rechaçado do lado de fora. 

Horas antes, ele e Gilberto Nogueira protagonizaram o primeiro beijo entre dois homens na história do reality durante uma festa. 

O ator Lázaro Ramos publicou um texto criticando a postura daqueles que perseguiram Lucas dentro da casa. 

“Militância de orelhada é diferente da militância de vivência. Essa entende o que precisa para garantir a sobrevivência”, escreveu o ator.

Outras personalidades como a cantora Gabriela Mercury, Gregório Duvivier, Tatá Werneck, Fernanda Paes Leme, Deborah Secco, Preta Gil, Ludmilla, Fernanda Abreu, Hugo Gloss e Neymar Jr também postaram mensagens apoiando o jovem.

O comediante Yuri Marçal e influencers como Gabi de Pretas, Alexandra Gurgel (Alexandríssimos), Dora Figueiredo e Tia Ma também estão entre aqueles que se posicionaram a favor de Lucas.

Participantes da edição anterior do BBB, como Babu Santana, a vencedora Thelma Assis e Rafa Kalliman também postaram mensagens de carinho para o ator.

Trajetória

Em nenhum momento dentro da casa Lucas escondeu sua trajetória enquanto slammer e ativista. Militante secundarista e compositor de letras de slam que abordam o racismo, a violência policial e a desigualdade, Koka foi uma das lideranças contra a reforma do ensino médio durante o governo Temer. 

O apoio ao cantor também repercutiu em entidades estudantis como a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), União Nacional dos Estudantes (UNE) e União da Juventude Socialista (UJS).


Lucas Koka Penteado está com mais de 7 milhões de seguidores em seu Instagram, número maior do que os dos participantes que ainda estão na casa / Foto: Bernardo Guerreiro/Mídia Ninja

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) também criticou o fato do jovem ter sua sexualidade questionada.

As manifestações de carinho também vieram de Manuela D’Ávila (PCdoB), candidata a vice-presidente da República em 2018, das parlamentares Erika Hilton, Luana Alves, Isa Penna. Guilherme Boulos, da coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) também se pronunciou.

A deputada estadual Erica Malunguinho (PSOL-SP) criticou as violências que a edição e os participantes estão estimulando.

Uma campanha de arrecadação online foi criada assim que Koka saiu do jogo para ajudá-lo a realizar o sonho de comprar a casa própria para sua mãe, Andréa Penteado. A vaquinha pretende arrecadar o valor de R$ 1,5 milhão, a mesma quantia do prêmio final do BBB. 

 

Edição: Rogério Jordão