Contra descompassos

De renda a vacina: programa Bem Viver aborda agravamento de desigualdades no país

Edição destaca distorção na cobrança de impostos, ausência de auxílio emergencial e patentes de vacinas contra covid-19

Ouça o áudio:

Segundo pesquisa recente do Datafolha, 69% dos brasileiros atendidos pelo auxílio emergencial em 2020 ainda não conseguiram obter outra fonte de renda depois de dezembro. - Roberto Parizotti/FotosPublicas
Hoje a gente tem para comer, amanhã a gente não sabe

O programa Bem Viver desta terça-feira (9) destaca iniciativas, estudos e relatos contra o agravamento das desigualdades sociais e econômicas no país. Além disso, como a postura do Brasil desfavorece um acesso mais universal e democrático às vacinas contra covid-19 no mundo.  

:: Canetaço de Bolsonaro em janeiro tirou até R$ 9 bilhões da ciência e tecnologia ::

A abertura da edição apresenta a personagem de quadrinho Niara, criada pelo cartunista Renato Aroeira. A proposta artística é mostrar as faces da desigualdade e apresentar ideias em busca da justiça social.

Niara é uma adolescente negra cheia de reflexões e que explica, de forma didática, as distorções na cobrança de impostos no Brasil. 

A ideia é que as questões sejam apresentadas de maneira leve por Niara, dialogando com crianças e adultos ao mesmo tempo. As tirinhas de Mafalda, criação do cartunista argentino Quino, e Armandinho, criado pelo ilustrador Alexandre Beck, por exemplo, são grandes inspirações, pois os personagens dialogam com leitores de diferentes faixas etárias.

“É a lógica reta e curta, objetiva. E por isso acaba funcionando muito bem. São personagens que trazem o universo dos adultos para a voz das crianças. Elas gostam e os adultos se maravilham”, explica Aroeira.

:: Médicos e cientistas apresentam pedido de impeachment contra Bolsonaro ::

Na sequência, o Bem Viver acompanha a situação de mulheres da Ocupação Jardim Gaivotas, no Grajaú, no extremo sul da Cidade de São Paulo, com a falta de perspectiva de renda após o fim do auxílio emergencial. 

"Acabou com a vida da gente. Hoje a gente tem para comer, amanhã a gente não sabe. Hoje a gente come o almoço para ter a janta. Ou a gente nem come para deixar para o filho comer. Porque é muito ruim seu filho pedir um leite e não ter para dar", conta Erika Aparecida Severino, que está desempregada e sobrevive de doações para alimentar os seis filhos. 

Até o momento, o governo federal não confirma a volta do benefício, que em 2020, chegou a mais de 126 milhões de pessoas, o que representa 60% da população brasileira, segundo o Ministério da Cidadania.

:: MPF volta a questionar Incra sobre a paralisação da reforma agrária ::

A edição também entrevista Vanessa Manfre, coordenadora do projeto Crescer e Aprender com a Comida de Verdade - pelo direito à Alimentação e Nutrição.  

A conversa com Vanessa Manfre adentrou a questão da merenda escolar, que merece ainda mais atenção neste momento de pandemia, em que as aulas podem não seguir um calendário regular de atividades.

Covid-19

O programa também aborda a postura do Brasil ao não se posicionar a favor da quebra de patentes de vacinas contra a covid-19 produzidas em países ricos. Apesar do alarmante desabastecimento de imunizanates, durante reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC), no dia 4 de fevereiro, o Itamaraty manteve-se em silêncio sobre o assunto. 

:: Omissão de Bolsonaro e do Congresso cortou verba de 73% dos leitos de UTI para covid ::

Não só o Itamaraty se absteve da discussão, mas, em um primeiro momento, se posicionou publicamente contra a proposta apresentada no fim de 2020 ao lado dos países europeus, dos Estados Unidos e do Japão, detentores do monopólio das patentes.

Por outro lado, a edição faz um giro pelas unidades federativas para conferir os planos estaduais de vacinação. A produção conferiu a situação nas cinco regiões do país. 


Produção da Rádio Brasil de Fato vai ao ar de segunda a sexta-feira / Brasil de Fato / Bem Viver

Sintonize

O programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP), Rádio Torres Cidade (RS) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas: SpotifyGoogle PodcastsItunesPocket Casts e Deezer.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

 

Edição: Daniel Lamir