TELECOMUNICAÇÃO

Radinho BdF conta a história do rádio

Veículo revolucionou a comunicação e a cultura de sua época, levando informação para as áreas mais remotas do globo

Ouça o áudio:

O rádio é a união de três tecnologias: a telegrafia, o telefone sem fio e as ondas de transmissão - Pixabay
Notícias, novelas e jogos de futebol: são inúmeras as histórias que o ele nos conta

Nesta quarta-feira (24), o Radinho BdF dedica sua edição para contar a história de uma das tecnologias mais revolucionárias do mundo: o rádio.

No Brasil, a chegada desta invenção aconteceu no Rio de Janeiro, em 1922. A primeira transmissão brasileira, ocorrida no dia 7 de setembro, foi um discurso do então presidente, Epitácio Pessoa.

Em 1923, foi criada a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, a primeira emissora do país. Até hoje ela existe, mas seu nome foi alterado para Rádio MEC AM.

Assim, como amigos se juntam para assistir uma partida de futebol, antigamente, reunir-se para ouvir os programas era um verdadeiro evento. Em sua época de lançamento, o aparelho de rádio era muito caro, então poucas pessoas conseguiam ter um em casa. Conforme os anos se passaram, a tecnologia se popularizou cada vez mais e promoveu uma revolução comunicacional e cultural.

As ondas sonoras mudaram a forma como as pessoas se comunicavam. Os programas, como novelas e partidas de futebol, se tornaram uma verdadeira febre: ninguém queria perder a escuta de um novo episódio da radionovela. E assim, o aparelho consagrou sua fama e notoriedade - que perdura até hoje. Devido a sua ampla popularidade, versões mais compactas e mais acessíveis foram criadas e com o passar dos anos, o rádio se tornou um dos mais importantes veículos da cultura popular.

Até hoje, as ondas radiofônicas continuam sendo muito importantes para a comunicação mundial. E ser um apresentador ou participar de algum programa, ainda é algo muito emocionante. Você já imaginou a sua reação ao ouvir sua própria voz no rádio? 

Livia Maria, de 8 anos, moradora de São Paulo, conta que costuma ouvir os programas acompanhada de seus pais: "eu gosto de ouvir rádio porque tem músicas e notícias. Eu sempre quis me apresentar no rádio!" E aqui no Radinho BdF, a Lívia pode experimentar a experiência de participar de um programa.

Será que os animais entendem quando ouvem as notícias? Na história de hoje, contada pela Camila Genaro, o Gato Pimpão vive várias aventuras, a partir das músicas que ouve sentado ao lado de sua dona, Jussara.

E você sabia que uma comunidade pode possuir seu próprio conteúdo radiofônico? Pois é, as rádios comunitárias são responsáveis por informar e noticiar questões do local onde está inserida. Quem explica isso com detalhes é o Eduardo Vicente, professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP).

Hoje existem novos formatos desta tecnologia, como a Rádio WEB e os podcasts. A Ana Clara Pinheiro, de 4 anos, residente de São Paulo, conta que seu pai é apaixonado por podcasts - e ela aproveita para ouvir ao seu lado.

E falando em paixão, o Radinho BdF reservou um momento para você conhecer a história da Agata Araújo de Oliveira, de 15 anos, moradora de Osasco, que também é apaixonada pelas ondas sonoras. Ágata criou sua própria rádio web, onde pode brincar, aprender e sintonizar suas músicas favoritas. 


Toda quarta-feira, uma nova edição do programa estará disponível nas plataformas digitais. / Brasil de Fato / Campanha Radinho BdF

Sintonize

O programa Radinho BdF vai ao ar às quartas-feiras, das 9h às 9h30, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista. A edição também é transmitida na Rádio Brasil de Fato, às 9h, que pode ser ouvida no site do BdF.

Em diferentes dias e horários, o programa também é transmitido na Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), e na Rádio Terra HD 95,3 FM.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o Radinho BdF de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: Michele Carvalho