Mulheres em luta

Em Curitiba, trabalhadoras da Educação fazem ato em defesa da vida

Marcando o Dia Internacional das Mulheres, manifestação aconteceu em frente ao Palácio Iguaçu

Brasil de Fato | Curitiba (PR) |
Trabalhadoras protestaram contra a volta às aulas presenciais, por vacina para toda a população e em memória das vítimas da covid-19 - Joka Madruga

O Dia Internacional das Mulheres começou com protesto em Curitiba. Na manhã desta segunda-feira (8), trabalhadoras da educação pregaram cruzes e estenderam faixas em frente ao Palácio Iguaçu, onde fica o governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD). A intervenção silenciosa foi contra a volta às aulas presenciais, por vacina para toda a população e em memória às milhares de vítimas da pandemia de covid-19.

Continua após publicidade

Leia também: O gênero feminino na linha de frente: são elas que combatem diariamente a covid-19

Continua após publicidade

"É um pedido das educadoras ao governador do Paraná para que o cenário mude, sem violência, pois muitas estão adoecendo tanto fisicamente como mentalmente”, disse Carol Dartora, vereadora de Curitiba e secretária da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBT da APP-Sindicato (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná).

Continua após publicidade

Saiba mais: 8 de março pelo Brasil; acompanhe as ações nas ruas e nas redes

Continua após publicidade

Entre as faixas estendidas no chão, uma dizia "resistimos para viver, marchamos para transformar". A manifestação aconteceu com poucas trabalhadoras, respeitando as orientações de segurança para evitar a contaminação pelo coronavírus. 

:: Ser mulher é risco de vida ::


Ato aconteceu na manhã desta segunda (8), em frente ao Palácio Iguaçu / Joka Madruga

Fonte: BdF Paraná

Edição: Lia Bianchini