Cortes

Redução do Orçamento de 2021 obriga IBGE a suspender exame para agentes censitários

Texto aprovado pelo Congresso reduziu em 96% os recursos destinados à realização do Censo Demográfico

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Logo no início do mandato, a metodologia do estudo foi questionada por Paulo Guedes, ministro da Economia - IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou, nesta terça-feira (6), que as provas para Agente Censitário Supervisor (ACS) (edital 01/2021) e Recenseador, previstas para os dias 18 e 25 de abril, estão suspensas, sem a estimativa de novas datas. 

De acordo com o IBGE, a aprovação do Orçamento de 2021 pelo Congresso Nacional em 21 de março reduziu em aproximadamente 96% o total de recursos destinados à realização do Censo Demográfico, operação feita pelo IBGE.

Nesse cenário, o instituto informou que não houve outra saída a não ser a suspensão dos exames. “O IBGE informa, ainda, que avaliará com o Cebraspe um novo planejamento para aplicação das provas, a depender de um posicionamento do Ministério da Economia acerca do orçamento do Censo Demográfico”, publicou em nota.

::Entenda: Orçamento de 2021 passará por "acordo político" para ser sancionado::

Continua após publicidade

Cortes recorrentes no Censo

No primeiro semestre de 2019, o primeiro ano de seu governo, o presidente Jair Bolsonaro já havia reduzido a verba para o IBGE em 2020, o que contribuiu para o cancelamento do Censo naquele ano.

No começo de 2019, o governo iniciou uma série de ataques às instituições de pesquisa e de produção de conhecimento. Uma das vítimas foi o IBGE, que teve o orçamento do Censo 2020 reduzido para R$ 2,3 bilhões.Para realizar uma edição com abrangência similar às anteriores, o IBGE precisava de R$ 3,4 bilhões. 

Logo no início do mandato, a metodologia do estudo foi questionada por Paulo Guedes, ministro da Economia, que sugeriu a redução do questionário para superar a falta de recursos. 

Edição: Leandro Melito