JOGA CONTRA

Chefe da PF no Amazonas encaminha ao STF e ao MPF notícia-crime contra Ricardo Salles

Alexandre Saraiva cita a maior apreensão de madeira da história e diz que ministro atrapalha a fiscalização ambiental

|
Delegado responsável pela denúncia afirma que Salles atrapalha a fiscalização ambiental e patrocina interesses privados - Marcelo Camargo/Agência Brasil

Alexandre Saraiva, superintendente da Polícia Federal (PF) do Amazonas, enviou ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, notícia-crime em que pede investigação de Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, e do senador Telmário Mota (Pros-RR) por atrapalhar medidas de fiscalização ambiental.

Continua após publicidade

O documento, enviado na última quarta-feira (14), foi encaminhado ao Ministério Público Federal (MPF) e à Direção Geral da Polícia Federal, e cita também o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Bim.

Salles e Motta têm foro privilegiado. Por isso, o expediente foi enviado ao MPF, para posterior encaminhamento à Procuradoria-Geral da República (PGR).

No texto da notícia-crime, Saraiva faz referência à maior apreensão de madeira da história do Brasil. O delegado afirma que Salles atrapalha a fiscalização ambiental e patrocina interesses privados.

Os crimes

O chefe da PF amazonense menciona dois crimes: advocacia administrativa e impedir ou embaraçar investigação de infração penal que envolva organização criminosa.

Salles tem afirmado que não se pode demonizar sem provas a atuação de empresários. Em contrapartida, Saraiva disse ao jornal Folha de S.Paulo que é a primeira vez que vê um ministro do Meio Ambiente ser contra uma operação que tenta preservar a floresta amazônica.

Com informações da Folha de S.Paulo e da Veja.