Vacinação em massa

Ilha de Paquetá (RJ): adolescentes recebem a primeira dose da vacina da Pfizer

Cerca de 400 jovens entre 12 e 17 anos foram imunizados no projeto "PaqueTá Vacinada"

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |

Ouça o áudio:

O projeto de vacinação em Paquetá é desenvolvido pela prefeitura do Rio de Janeiro em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) - Foto: Alexandre Macieira/Prefeitura do Rio

Os moradores da Ilha de Paquetá, na cidade do Rio, avançaram ainda mais no processo de imunização contra a covid-19 no último domingo (25).

Continua após publicidade

O projeto “PaqueTá Vacinada” imunizou cerca de 400 adolescentes entre 12 e 17 anos com a primeira dose da vacina da Pfizer, único imunizante aprovado para essa faixa etária pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

O projeto é desenvolvido pela prefeitura do Rio de Janeiro em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Trata-se de um estudo para avaliar os efeitos da imunização em massa.

A pesquisa pretende oferecer mais respostas sobre a segurança do imunizante, a eficácia, os efeitos adversos e também se a primeira dose da vacina já evita completamente a transmissão de casos na região ou se isso só acontece a partir da segunda.

Leia mais: Moradores de Paquetá criticam Eduardo Paes por "carnaval fora de época" 

A próxima dose das vacinas, tanto para adolescentes quanto para adultos, será aplicada em 15 de agosto. A vacinação ocorreu na unidade de saúde local, a UIS Manoel Arthur Villaboim.

Apenas os adolescentes residentes na ilha e que fizeram o teste rápido para a covid-19 na etapa de inquérito sorológico foram vacinados na ação.

Segundo a prefeitura, a Ilha de Paquetá tem atualmente 4.180 moradores. Destes, 3.530 são maiores de 18 anos e cadastrados no programa Saúde da Família.
 

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Jaqueline Deister