Direitos básicos

Bate-papo: Os desafios das mães solo que não conseguem acesso ao auxílio emergencial

Transmissão terá participação da ativista Paola Carvalho e da deputada federal Fernanda Melchionna

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Mães solo estão mais vulneráveis durante a pandemia - Reprodução

A Campanha Renda Básica reuniu informações sobre mais de  mil mães solo que não conseguiram acesso ao auxílio emergencial e passam pela crise da pandemia sem apoio desde o início da crise sanitária. 

Continua após publicidade

Para pedir providências ao governo, o movimento enviou um ofício ao Ministério da Cidadania. A percepção é de que os problemas de implementação do benefício atingem as mães que criam os filhos sozinhas de maneira ainda mais cruel.

A campanha vem recebendo centenas de relatos que confirmam o cenário. Há casos de mulheres que receberam valores abaixo do que têm direito e até mesmo situações em que benefício foi bloqueado ou suspenso e situações em que elas estão com o cadastro pendente há meses. 

Para o grupo que organiza a campanha esses casos precisam ser revistos e corrigidos com urgência. Além disso, há a demanda para abertura de uma canal de comunicação e contestação, com possibilidade de encaminhar documentos para facilitar a comunicação com o Ministério da Cidadania.

Para conversar sobre o tema, o Brasil de Fato realiza uma transmissão ao vivo pelo Youtube e pelo Facebook com a diretora de Relações Institucionais da Rede Brasileira de Renda Básica  Paola Carvalho, uma das organizações integrante da campanha Renda Básica que Queremos, e com a deputada federal Fenanda Melchionna.

Assista:

Edição: Rodrigo Chagas