Eleições 2020

No Ceará, eleitores de três municípios escolhem novos prefeitos; confira resultado

Eleições suplementares aconteceram em Missão Velha, Pedra Branca e Martinópole

Brasil de Fato | Crato (CE) |
De acordo com informações divulgadas pelo TRE-CE, aproximadamente 57 mil eleitores foram às urnas no último domingo (1º) - Foto: Divulgação TSE

No último domingo (1º), três municípios cearenses passaram por Eleições Suplementares para ocupar o cargo de prefeito, tendo em vista que os eleitos nas Eleições de 2020, não puderam assumir por impedimentos junto à Justiça Eleitoral. Foram eles: Pedra Branca, no Sertão Central; Martinópole, no Litoral Extremo Oeste e; Missão Velha, na Região Metropolitana do Cariri.

Continua após publicidade

:: Padre Lino sobre perseguição no Ceará: “São dois modelos de Igreja que estão frente a frente” ::

Em Martinópole, a chapa de James Bel (PP) e Filipão (MDB) teve sua vitória na Eleição de 2020 anulada pois, segundo a decisão dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), James estava inelegível para concorrer ao pleito por ter sido demitido por abandono do cargo de professor da rede municipal de ensino. Nas eleições suplementares foram eleitos Betão do James Bel (PP), com 4.297 votos (50,58% dos votos válidos). Filipão seguiu como vice.

Já em Missão Velha, tinha eleito no ano passado, Dr. Washington (MDB) e Fitinha (PT), que não puderam assumir o mandato, pois Washington possui condenação em segunda instância por improbidade administrativa no Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE), por isso o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) reconheceu como inelegível a chapa, após parecer do Ministério Público Eleitoral. Na nova eleição foram escolhidos para ocupar o cargo Dr. Lorim (PDT) e Rodrigues Roberto (PDT), com 11.994 votos (52,84% dos votos válidos). A coligação conta ainda com PSB, PSD, PCdoB e Solidariedade.

:: Prefeitos de seis municípios estão sob processo de cassação no Ceará ::

No caso de Pedra Branca, Antônio Góis e David Melo, ambos do PSD, tiveram as eleições anuladas, pois o MP Eleitoral teria cassado o registro da candidatura de Antônio Góis. Ele foi considerado inelegível por ter renunciado ao cargo de prefeito em 2019, quando foi apresentada denúncia na Câmara de Vereadores por crimes de responsabilidade fiscal como fraudes em licitações e acordos com empresas contratadas pela cidade. No novo pleito, Matheus Góis (PSD), parente do cassado, foi eleito com 13.060 votos (54,38% dos votos válidos), tendo como vice David Melo (PSD). A chapa contava com o apoio do PSDB, Cidadania, PSL, Republicanos e DEM.

O Tribunal Regional Eleitoral CE informou em seu site que, “segundo as Resoluções TRE-CE nºs 810/2021, 817/2021 e 819/202,que fixaram a data e aprovaram instruções para a realização das eleições suplementares para os cargos de prefeito e de vice-prefeito de, respectivamente, Martinópole, Missão Velha e Pedra Branca, o juiz(a) eleitoral diplomará o prefeito e vice-prefeito eleitos até o prazo-limite do dia 13 de agosto de 2021. Destaca-se que cabe à Câmara Municipal definir a data da posse dos eleitos”.

Abstenções

De acordo com informações divulgadas pelo TRE-CE, aproximadamente 57 mil eleitores foram às urnas no último domingo. O município de Martinópole possui 9.347 eleitores, desses, um total de 8.657 compareceram às urnas, totalizando um percentual de abstenção de 7,39%, resultado menor do que nas Eleições 2020, que foi de 8,44%. Já em Missão Velha, dos 27.602 eleitores, 23.624 votaram, o que representa 14,41% de abstenção. Em 2020, esse percentual foi de 13,11%. Em Pedra Branca, dos 32.063 eleitores, 24.937 compareceram às urnas. A cidade registrou um percentual de abstenção de 22,23%, nas eleições de 2020, esse percentual foi de 18,65%.

Fonte: BdF Ceará

Edição: Francisco Barbosa