EDUCAÇÃO

Ministério da Educação divulga resultado do Sisu; veja como acessar

Quem não for selecionado na chamada regular pode se matricular na lista de espera para vagas remanescentes

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Após o primeiro dia de inscrição, o Sisu disponibilizará a nota de corte de cada curso das instituições - Agência Brasil

O resultado da chamada regular do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o segundo semestre de 2021 foi divulgado nesta terça-feira (10) pelo Ministério da Educação (MEC).

Continua após publicidade

Os nomes dos aprovados estão disponíveis na página do Sisu e nos sites das instituições que participam do processo seletivo. 

Continua após publicidade

:: Unicamp está com inscrições abertas para o vestibular de 2022 até 8 de setembro ::

Continua após publicidade

O prazo para fazer a matrícula começa nesta quarta-feira (11) e vai até o dia 16 de agosto. O MEC recomenda que os estudantes fiquem atentos aos dias, horários e locais de atendimento definidos por cada instituição em seus próprios editais.

Continua após publicidade

Lista de espera

Mesmo quem não for selecionado nesta etapa poderá manifestar interesse por meio da lista de espera do Sisu entre os dias 10 e 16 de agosto. As instituições vinculadas ao programa vão utilizar a listagem de maneira prioritária para preencher vagas que não forem ocupadas na chamada regular.

Para quem se inscrever na lista de espera, o resultado sai no dia 18 de agosto, com a convocação para a matrícula no dia 19. 

Como funciona?

Principal meio de acesso ao ensino superior público no Brasil, o Sisu utiliza a nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de seleção.

:: Mais de 85% dos professores têm medo da covid-19 na volta às aulas presenciais ::

Neste ano estão disponíveis 62.365 vagas em universidades, centros universitários e faculdades. Os candidatos puderam escolher até dois cursos superiores, podendo modificar a opção prioritária até o encerramento das inscrições.

Para participar do processo seletivo, é preciso fazer o Enem e não zerar a nota da redação. 

Edição: Daniel Lamir