COVID-19

Variante delta tem transmissão comunitária em Pernambuco e governo anuncia testagem em massa

Após um ano e seis meses de pandemia, governo estadual lança programa de testagem em massa

Brasil de Fato | Recife (PE) |
SES anunciou programa de testagem em massa da população para detecção da Covid-19 - Governo PE

O governo de Pernambuco confirmou, em coletiva de imprensa online nesta quarta (18), que a variante delta já circula no território. Na quinta-feira (12), um sequenciamento genético feito pelo Instituto Aggeu Magalhães (IAM/Fiocruz PE) revelou duas amostras com a cepa em dois homens, residentes em Abreu e Lima e Olinda. 

Até o momento, não foi encontrado vínculo entre estes pacientes positivos, indicando a probabilidade de circulação da variante delta no estado. Quando não é possível rastrear a origem da infecção, isto significa que o vírus circula entre as pessoas, independente de terem viajado ou não para locais onde há registro de casos. 

:: Covid: Atrasos na entrega de doses e variante delta deixam Brasil suscetível a novo colapso ::

A secretaria continuará investigando outros possíveis contactantes dos dois casos positivos. O secretário André Longo reforçou a importância dos cuidados e, principalmente, da vacinação contra a covid-19. "O vírus continua circulando, com a introdução de variantes preocupantes, como é o caso da delta. Completar o esquema vacinal, com as duas doses, é essencial para a eficácia da imunização", ressaltou Longo.

Pernambuco já aplicou 7.064.104 doses de vacinas contra a covid-19 desde o início da campanha de imunização no Estado. Desse total, 2.111.763 pernambucanos completaram seus esquemas vacinais, sendo 1.939.968 pessoas que foram vacinadas com imunizantes aplicados em duas doses e outros 171.795 pernambucanos que foram contemplados com vacina aplicada em dose única. De acordo com o IBGE, a população estimada no estado é de 9.616.621 pessoas. Sendo assim, o estado até agora vacinou aproximadamente 73% da população.


Variante delta já circula no estado de Pernambuco / STEFANIE Loos / AFP

Programa de Testagem

Também nesta quarta-feira (18) o governo anunciou o TestaPE - programa de testagem em massa da população para detecção da covid-19. A iniciativa visa testar 10% da população do Estado nos próximos seis meses com 1.090.713 testes de antígeno para ampliação da oferta de exames em locais estratégicos nos municípios.

Nesta primeira etapa, aproximadamente 1,5% da população pernambucana deverá ser testada até o final de setembro com o primeiro lote que contém 200 mil exames. Cada cidade deve organizar sua logística para testar a população a partir de três eixos: na porta de entrada da rede de saúde (unidades básicas de saúde, policlínicas e as Unidades de Pronto Atendimento); nos locais com grande circulação de pessoas, como os terminais integrados de ônibus e estações de metrô; e nos serviços do setor público e privado, através de parcerias com instituições do terceiro setor.

:: Variante delta avança e casos de covid-19 voltarão a aumentar, diz Fiocruz ::

"Com mais pessoas testadas, mais amostras são coletadas para sequenciamento genético, proporcionando maior amostragem para detecção das cepas circulantes na nossa população", argumentou o secretário, André Longo.

Similar ao exame RT-PCR, o teste rápido de antígeno também é feito com a coleta de material biológico da nariz e garganta do paciente, com swab nasal. A diferença é que o resultado, ao contrário do RT-PCR, sai em aproximadamente 30 minutos. Também não é preciso levar ao laboratório ou utilizar equipamentos complexos para saber o resultado. A indicação é que o exame seja feito em até dez dias após o início dos sintomas, com preferência entre o quinto e o sétimo dia. Assim como os testes moleculares de RT-PCR, o de antígeno também detecta a doença em sua fase aguda, quando a infecção está ativa e há maior risco de transmissão.

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Vanessa Gonzaga