escalada autoritária

Bolsonaristas furam bloqueio policial e invadem Esplanada na véspera de ato

Polícia Militar afirmou que não conseguiu conter os militantes que apoiam Bolsonaro e classificou evento como "invasão"

Brasil de Fato | Brasília (DF) |
Apoiadores de Jair Bolsonaro invadiram Esplanada dos Ministérios na véspera de 7 de setembro Brasília (Distrito Federal) - Evaristo Sa / AFP

Milhares de manifestantes bolsonaristas romperam, na noite da segunda-feira (6), um bloqueio policial feito na Esplanada dos Ministérios e invadiram as vias que dão acesso à Praça dos Três Poderes. A Polícia Militar do Distrito Federal afirmou, em nota, que não conseguiu conter os militantes que apoiam o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e definiu o episódio como uma "invasão".

Continua após publicidade

Diversos vídeos que circulam na internet mostram uma multidão de apoiadores do governo pressionando os agentes policiais pela abertura. Caminhões e ônibus de passeio forçaram a passagem e conseguiram adentrar as vias da Esplanada, que deveriam estar bloqueadas para acesso de automóveis e pedestres.

:: PM fecha vias da Esplanada, mas acesso a anexos do STF segue aberto às vésperas do ato ::

O esquema de segurança previsto pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) determinava a revista de todos os manifestantes que fossem à região central de Brasília. Com a entrada dos manifestantes, a estratégia falhou, já que diversas barracas de acampamento foram erguidas em frente aos ministérios durante a madrugada.

Com faixas e bandeiras a favor do governo, o grupo se dirigiu para áreas próximas aos prédios do Congresso e do Supremo Tribunal Federal, dois dos principais alvos dos manifestantes. A convocação dos atos têm caráter antidemocrático ao pedir o fechamento dos Poderes e a "tomada de poder" por Bolsonaro com ajuda das Forças Armadas.

Pelo Twitter, integrantes do governo Bolsonaro, como o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, e o ministro do Turismo, Gilson Machado, comemoraram a entrada dos apoiadores na região da Esplanada. "Lindo ver Brasília ser tomada por pessoas de bem. Pessoas ordeiras, que só querem viver num país mais justo, mais livre e mais democrático. Tá bonito de ver!!! Viva o 07 de setembro!!!", escreveu Rosário.

A Praça dos Três Poderes, onde se localiza o STF, estará bloqueada durante a manifestação. O acesso dos bolsonaristas estará proibido a partir da altura do prédio do Itamaraty, última pasta antes da entrada do Supremo.

Acesso a anexos

Nessa segunda-feira (6), o Brasil de Fato mostrou que a Via S2, onde está a entrada do Anexo 1 da Corte está com acesso livre. O local garante acesso ao edifício-sede e ao plenário. Em poucos minutos nas imediações, a reportagem presenciou uma série de carros com adereços e bandeiras do Brasil transitando em frente ao local.

:: CPAC Brasil: evento tem dancinhas, ameaças ao STF e beijo em Michelle em "esquenta" para dia 7 ::

Em nota, a SSP-DF afirmou que não há planejamento para o bloqueio total da via, que servirá como alternativa aos motoristas que não poderão usar a Esplanada dos Ministérios. No horário da manifestação, de acordo com o órgão, policiais estarão na Via S2 para "controle e maior fluidez no trânsito".

Desde a noite de sexta-feira (3), militantes bolsonaristas desfilam por Brasília com bandeiras e camisetas do Brasil. A região central da capital está com 90% dos hotéis e pousadas lotados devido às manifestações previstas para o feriado de 7 de Setembro.

Segundo dados do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar), a ocupação considerada de fluxo normal na capital federal é de 40%.

:: Quem é o líder de grupo integralista que está convocando atos para o 7 de setembro no DF ::

Em regiões administrativas como Taguatinga, Guará e Águas Claras, a ocupação dos hotéis chegou a 75%, quase todos com apenas uma diária para o Dia da Independência. As reservas atingiram uma ocupação inédita, segundo o Sindhobar.

Segundo a SSP-DF, "haverá reforço do policiamento em toda região central de Brasília. A Polícia Militar realizará linhas de revistas pessoais e bloqueios nas principais vias da Esplanada dos Ministérios e proximidades da Torre de TV".

 

Edição: Vivian Virissimo