bioética

‘Caso Prevent Senior deveria incentivar outras investigações’, diz médica ao Programa Bem Viver

Escândalo envolvendo operadora inclui acusações que vão de omissão de óbitos a uso de pacientes como cobaias

Ouça o áudio:

Fachada de uma das unidades da rede Prevent Senior, acusada de desvios bioéticos durante a pandemia - Foto: Prevent Senior
Quem trabalha na área da saúde tem relatos de colegas forçados a receitar remédios do kit covid

O escândalo envolvendo a operadora de saúde Prevent Senior – com acusações que vão de omissão de óbitos a uso de pacientes como cobaias – deveria motivar mais investigações, em outras redes de saúde, sobre infrações éticas durante a pandemia. Essa é a opinião da médica Fernanda Americana, em entrevista repercutida na edição de hoje (27) do Programa Bem Viver.

Para ela, o ponto fundamental é levantar e investigar casos em que profissionais de saúde foram compelidos a prescrever para pacientes o chamado “kit covid”, um conjunto de medicamentos sem eficácia para tratar a doença e que podem causar graves efeitos colaterais. Por meses, o chamado tratamento precoce foi defendido pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como uma forma eficiente de tratar a doença, contrariando as principais organizações de saúde do mundo.

“Quem trabalha na área da saúde tem relatos de colegas que foram forçados a receitar remédios do chamado kit covid, em especial na rede privada, mas também no SUS, a depender dos governo municipais”, disse Fernanda, que é integrante da Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares, em conversa ao podcast Covid-19 na Semana. “A investigação da Prevent Senior deveria abrir margem para ampliar as investigações sobre infrações bioéticas durante a pandemia.”

Veja mais: Prevent Senior na CPI: fraudes em atestado de óbito, tratamento precoce e gabinete paralelo

O plano de saúde é acusado de ter utilizado pacientes como cobaias para testar os efeitos de remédios do chamado kit covid sem o consentimento das pessoas ou de familiares. Além disso, a operadora é investigada por alterações dos Classificação Internacionais de Doenças (CIDs) e por pressionar médicos a receitarem os medicamentos.

Por conta do escândalo da Prevent Senior, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 no Senado voltou a prorrogar a conclusão dos trabalhos e pode ser estendida até o final de outubro. Havia uma expectativa que a semana passada poderia ter sido a última de apuração da CPI.

A medida que as denúncias vieram a tona aumentou também o número de instituições investigando o plano de saúde. Além da CPI e da polícia civil, na sexta-feira (24), o Ministério Público de São Paulo anunciou que foi criada uma força tarefa para apurar a atuação da Prevent Senior.

Setembro amarelo

No último episódio da série especial de reportagens Setembro Amarelo, produzido pela Rádio Agência Nacional para discutir saúde mental e a prevenção de suicídios, especialistas falam sobre a importância de ampliar o atendimento para além dos profissionais de saúde: qualquer pessoa pode ajudar a minimizar o sofrimento de alguém que esteja passando por uma dificuldade mental.

Algo importante é escutar sem julgamentos. Se sentir constrangido por ter determinados pensamentos ou sentimentos é um dos motivos que fazem as pessoas ficarem em silêncio. Em qualquer situação, mais importante do que falar frases de efeito é criar espaços seguros, em que a pessoa possa desabafar, saber que ela não tá sozinha e que o sofrimento dela é válido.

A dica é especialmente importante para os idosos. Mesmo que a pessoa tenha condições de realizar as tarefas diárias, a falta de uma companhia pode contribuir para surgimento de um quadro de depressão com risco de morte por suicídio.

Dia do Rádio

No último sábado (25) foi celebrado o Dia Nacional do Rádio. Na década de 1950, quando a TV chegou ao Brasil, especialistas começaram a defender que ele iria acabar. Mais recentemente, com o aumento exponencial da produção de podcasts, a possibilidade do fim do rádio voltou ao debate.

No entanto, ele segue firme e forte, com papel fundamental na comunicação de comunidades indígenas e sertanejas, onde o rádio a fonte principal de informação.

Em São Gabriel da Cachoeira (AM), a Rádio Maloca é o ponto de encontro de três comunidades indígenas de etnias diferentes. Além de atualizar informações importantes, a emissora cativa o público com uma programação musical repleta de composições locais, feitas dentro das comunidades. O mesmo ocorre no sertão do Ceará, onde membros de assentamentos de terra tem no rádio uma fonte primordial de comunicação.


Programa Bem Viver é transmitido diariamente na Rádio Brasil Atual, a partir das 11h / Brasil de Fato

Sintonize

O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP), Rádio Torres Cidade (RS) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas: Spotify, Google Podcasts, Itunes, Pocket Casts e Deezer.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: Sarah Fernandes