Mitomania sem fim

Vacina não dá Aids: depois do Facebook, Youtube também retira do ar live de Bolsonaro

Enquanto mentira presidencial repercutia no planeta, Bolsonaro visitou concurso de canto de pássaros em extinção

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Jair Bolsonaro (sem partido): live removida do Facebook e do You Tube por propagar mentiras
Jair Bolsonaro (sem partido): live removida do Facebook e do You Tube por propagar mentiras - Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

A plataforma de vídeos na internet YouTube acompanhou, nesta segunda-feira (25) o facebook e também retirou do ar a live realizada na semana passada em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) propagou a mentira de que a vacina contra a covid-19 poderia aumentar a propagação do vírus da Aids.

Continua após publicidade

"Removemos um vídeo do canal de Jair Bolsonaro por violar as nossas diretrizes de desinformação médica sobre a COVID-19 ao alegar que as vacinas não reduzem o risco de contrair a doença e que causam outras doenças infecciosas. As nossas diretrizes estão de acordo com a orientação das autoridades de saúde locais e globais, e atualizamos as nossas políticas à medida que a orientação muda. Aplicamos as nossas políticas de forma consistente em toda a plataforma, independentemente de quem for o criador ou qual a sua opinião política", informou, por meio de nota, o YouTube.

::Oposição vai ao STF com notícia-crime contra Bolsonaro por mentira sobre vacina da covid e aids::

Nesta segunda, o presidente mentiu sobre a própria mentira, dizendo que teria lido em sua live uma reportagem da revista Exame sobre o assunto. Na realidade, ele leu um texto produzido e publicado pelo site "Before it´s News", conhecido por propagar fake news na internet.

Enquanto isso, também nesta segunda, a bancada do PSOL na Câmara e o deputado Túlio Gadêlha (PDT-PE) protocolaram uma notícia-crime contra o chefe do Executivo por ter associado o imunizante ao vírus da aids. O documento foi apresentado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

No pedido, os parlamentares solicitam que Bolsonaro seja oficialmente denunciado por violações ao Código Penal, infração de medida sanitária preventiva e perigo para a vida ou para a saúde dos demais.

Os deputados apontam que a conduta do presidente afronta o princípio da moralidade, a Lei de Improbidade Administrativa e caracteriza crime de responsabilidade.

Bolsonaro cumpre agenda com ministros em concurso de canto de pássaros em extinção

No último domingo (24),  Bolsonaro foi à competição nacional da Confederação Brasileira de Criadores de Pássaros Nativos na modalidade “Curió” e “Bicudo”, dois pássaros ameaçados de extinção. Ele estava acompanhado por três ministros de Estado.

Como se pode ver no vídeo abaixo, o presidente - que se orgulha em dizer que não está vacinado contra a covid - circulou sem máscara entre as pessoas e até pegou um menino no colo ára posar para seus admiradores.

Edição: Vinícius Segalla