cultura

Conheça a Mãe Beth de Oxum, Patrimônio Vivo de Pernambuco, no Programa Bem Viver

Referência no movimento negro, Mãe Beth reflete sobre crise política do país e o risco dela para diversas populações

Ouça o áudio:

Mãe Beth de Oxum protagoniza o documentário "Pernamcubanos - O Caribe que nos une"
Mãe Beth de Oxum protagoniza o documentário "Pernamcubanos - O Caribe que nos une" - Foto: Reprodução/YouTube
Os terreiros são um dos lugares que mais acolhem a diversidade e cuidam da natureza

Mãe Beth de Oxum, referência para o movimento negro e para os praticantes de religiões de matriz africana, participa da edição de hoje (16) do Programa Bem Viver falando sobre sua trajetória, suas inspirações e sobre a importância de manifestações culturais típicas do povo negro para o Brasil, como o coco de roda, o maracatu, o cavalo marinho e o afoxé. Além disso, Mãe Beth analisa a crise política do país e o risco que ela representa para diversas populações.

“Eu sou do Candomblé. Somos um quilombo urbano, somos povos originários e uma comunidade religiosa que envolve muitas gente e que não cabe e na branquitude no Estado brasileiro porque traz valores civilizatórios muito divergentes, do cuidar e do proteger”, disse. “Os terreiros são um dos lugares que mais acolhem a diversidade e cuidam da natureza. A Terra é a nossa mãe e não pode ser tratada como é, negociada e vendida. A natureza é sagrada, não é uma forma de produção.”

Maria Elizabeth Santiago de Oliveira, a Mãe Beth de Oxum, é cuidadora, mestra da cultura popular, comunicadora e cantora. Ela se tornou a primeira Ialorixá a receber o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural.

No terreiro de Mãe Beth existe um pouco de tudo: espiritualidade, medicina popular, rádio e até cursos de programação de games para a juventude negra. Na conversa ela falou sobre o trabalho que realiza como educadora voluntária e deu detalhes do projeto que apoia jovens no desenvolvimento de games sobre as realidades deles.

Comunicação pública?

Dados levantados com exclusividade pelo Brasil de Fato apontam que a TV Brasil, emissora pública do país, pode estar sendo usada como canal de propaganda do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Por ao menos 130 vezes a programação do veículo foi interrompida para transmitir algum discurso do presidente ou eventos e cerimônias com a participação de Bolsonaro.

No entanto, no próprio site da TV Brasil, a missão da emissora é definida como a de atender “à antiga aspiração da sociedade brasileira por uma televisão pública nacional, independente e democrática. Sua finalidade é complementar e ampliar a oferta de conteúdos, oferecendo uma programação de natureza informativa, cultural, artística, científica e formadora da cidadania.”

Assim, fica claro que trata-se de uma televisão pública, independente e democrática, que não tem função de atender ao interesse do Estado nem de um governo em específico.

Tragédia no Maranhão

No interior do Maranhão, uma mãe idosa, de 78 anos, e o filho de 38 anos, foram atingidos e acabaram morrendo pela derrubada ilegal de uma palmeira. Os dois pertenciam a uma família de quebradeiras de coco babaçu, comunidade tradicional do estado.

Segundo informações do Conselho Nacional das Populações Extrativistas, mãe e filho estavam realizando a coleta do coco babaçu dentro da comunidade em que vivem quando um grupo ligado a latifundiários da região começou a derrubar palmeiras com maquinário pesado, o que por si só é ilegal. Desde 2007, existe a Lei Babaçu Livre que proíbe a derrubada dos babuçuais.

A morte da mãe e filho traz um alerta importante: a atividade de grupos desmatadores ilegais é uma ameaça direta a existência de comunidades tradicionais, que habitam esses territórios há mais de século.


Confira os horários de transmissão do programa Bem Viver / Brasil de Fato

Sintonize

O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP), Rádio Torres Cidade (RS) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas: Spotify, Google Podcasts, Itunes, Pocket Casts e Deezer.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: Sarah Fernandes