REFINARIA

Em PE, população sofre com gases emitidos por refinaria: "A gente não tem como respirar”

Refinaria Abreu e Lima, no litoral do estado, emite sem filtragem gases como amônia, benzeno e dióxido de carbono

Brasil de Fato | Recife (PE) |
Em nota, a Petrobras informou que está sendo feita a licitação para a construção da Unidade de Abatimento - Petrobrás

“A gente não consegue abrir a porta, não consegue dormir, são três ventiladores ligados, a gente coloca um na janela para ver se consegue impedir do ar entrar pela janela, porque a situação é gravíssima. A gente não tem como respirar”, é assim que o professor Marcelo “Gaivota”, morador do bairro Vila Califórnia, em Ipojuca (PE), e cerca de três mil moradores do município se sentem desde a instalação da Refinaria Abreu e Lima, no Porto de Suape, há 7 anos: sem ar. 

Continua após publicidade

Leia também: Emissão de gases da Refinaria Abreu e Lima adoece moradores e separa famílias em Suape (PE)

Continua após publicidade

Além de conviverem com um odor intenso, também sofrem com problemas de saúde. Os moradores denunciam que estão sufocados por gases como Sulfeto de Hidrogênio, o Dióxido de Carbono, o Monóxido de Carbono, a Amônia e o Benzeno. O contato com essas substâncias tem sido relacionado a alguns problemas de saúde que tem surgido nos moradores.

Continua após publicidade

Continua após publicidade

Marcelo teve o filho de 4 anos internado em uma unidade de tratamento intensivo mais de uma vez com um quadro grave de asma, o que é atribuído ao efeito dos gases. “Ele saiu daqui com uma situação de respiratório, uma falta de ar muito forte, foi gravíssima a situação dele. E a gente passou quase um mês no hospital lutando com ele, eu e a minha esposa indo e voltando”, lembra o morador.

Contudo, existe um equipamento que pode resolver o problema, é uma Unidade de Abatimento de Emissões (SNOx). Acontece que ela não foi finalizada até o momento. “Esse equipamento é fundamental, porque é um equipamento que se utiliza nas refinarias justamente para filtrar vários tipos de gases que são jogados na atmosfera e que afetam a saúde e a vida das pessoas e também o meio ambiente”, analisa o perito criminalista e morador da região, Dário Raúl Chivlo.

:: "Privatizar a Refinaria Abreu e Lima é mais um passo para desindustrializar o NE" ::

Os moradores já ajuizaram uma Ação Cível que está em tramitação no Tribunal de Justiça de Ipojuca, que garantiu a construção de uma unidade de medição das emissões no local. Além disso, se preparam para ajuizar uma ação criminal por crime ambiental.

“Estamos dentro do apartamento e aqui dentro do apartamento está se tornando maior o odor. E é isso que provoca náuseas, desmaios, pessoas com insuficiência respiratória, estamos desenvolvendo outras doenças, outras patologias, que a refinaria diz que a gente não sente. Como é que a gente não sente se é isso que nós estamos questionando e reclamando?”, questiona a moradora e técnica ambiental Yara Marques, que é uma das moradoras que está à frente das ações.

A equipe do Brasil de Fato Pernambuco entrou em contato com a Petrobras, que respondeu os questionamentos através de nota. Confira a resposta da empresa sobre as denúncias na íntegra:

“A Petrobras monitora a qualidade do ar da Refinaria Abreu e Lima (Rnest) em tempo integral e, inclusive, instalou dentro do condomínio Vila Estaleiros uma estação de monitoramento ambiental. As análises demonstram que a refinaria opera dentro dos padrões ambientais estabelecidos pela legislação nacional. A refinaria opera normalmente e não há registro de nenhuma intercorrência na operação da unidade que possa colocar em risco a saúde da comunidade do entorno.

A companhia reforça que as contratações para a conclusão das obras da unidade de abatimento de emissões (SNOx) estão em andamento. Este processo é realizado por meio de licitação, conforme prevê a Lei 13.303/2016.”

Fonte: BdF Pernambuco

Edição: Vanessa Gonzaga