BEM VIVER NA TV

Monique Malcher: "Literatura paraense é uma literatura brasileira e universal"

A escritora vencedora do Prêmio Jabuti fala sobre literatura no programa Bem Viver na TV, produção do Brasil de Fato

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |
Nascida em Santarém, no oeste do Pará, Monique Malcher escreve desde os 10 anos de forma consistente. - Divulgação

Nesta edição do programa Bem Viver na TV, produzido pelo Brasil de Fato, a escritora paraense, Monique Malcher, fala sobre literatura, feminismo e as suas origens. Vencedora do Prêmio Jabuti com a obra Flor de Gume, ela é a segunda paraense premiada na categoria de ficção. A primeira foi Olga Savary, que ganhou a honraria em 1971 e morreu em 2020 por complicações da covid-19.  

Depois de receber a honraria, Monique passou a se deparar, com mais frequência, com coisas que a incomodam. "É bastante desagradável chamarem a literatura que desenvolvo de regional. É literatura paraense, tem regionalidade, mas ela é uma literatura brasileira, universal, porque escrevo sobre sentimentos que são universais. Ninguém diz a um autor ou autora do sul e sudeste do Brasil que eles são regionais, eles são escritores brasileiros, por quê?", questiona. 

Monique afirma que a obra não teria a visibilidade que teve se não fosse a força de cada mulher que falou, leu e compartilhou seu livro. "Não adianta ter um livro bem escrito, se ele não circula, se ele não é lido. Então, professoras dos interiores, professoras de Belém, professoras de outras cidades começaram a usar o livro em suas aulas, eu participei de eventos online. Isso, sem dúvida, levou Flor de Gume além". 

O Mosaico Cultural também traz mais mulheres na escrita para esta edição do programa. fala sobre o livro "Quarentena da resistência", que narra histórias de catadoras de lixo reciclável.

E tem mais... 

No Momento Agroecológico, você vai conhecer a Rede Cearense de Turismo Comunitário – Rede Tucum, que oferece experiências diferenciadas de hospedagem na zona costeira do Ceará. 

A Letícia Massula ensina uma variação da receita que é uma obra prima da culinária. o macarrão à carbonara. Falando em macarrão, o Alimento é Saúde mostra um coletivo de mulheres no interior do Paraná que produz massas frescas e orgânicas com certificação.

Chuvas e verão? Hora de redobrar os cuidados com a dengue. Dr. Aristóteles Carbona traz as dicas de como lidar com as chamadas arboviroses.

O Bem Viver é uma produção do Brasil de Fato Na Rede TVT, que abrange a Grande São Paulo. A produção vai ao ar às 13h30, com reprise no domingo às 6h30 e na terça-feira às 20h. Além disso, tem exibição na TVCom Maceió, na TV Floripa, na TVU Recife, na TVE Bahia e nas plataformas online da TV RSul. 

Onde assistir 

Nas redes sociais do Brasil de Fato (Facebook e YouTube); na TVT, no canal 44.1 – sinal digital HD aberto na Grande São Paulo e canal 512 NET HD-ABC; na TVCom Maceió, no canal 12 da NET; na TV Floripa, também no canal 12 da NET; na TVU (Universitária) Recife no canal 40 UHF digital e na TVE Bahia, no canal 30 (7.1 no aparelho) do sinal digital. 

Quando

Na TVT: sábado às 13h30; com reprise domingo às 6h30 e terça-feira às 20h. 

Na TVCom: sábados às 10h30, com reprise domingo às 10h. 

Na TVU Recife: sábados às 12h30, com reprise terça-feira às 21h. 

Na TVE Bahia: sábado às 12h30, com reprise quinta-feira às 7h30. 

Sintonize 

No rádio, o programa Bem Viver vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo e 93,3 FM na Baixada Santista. 

O programa também é transmitido pela Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas: Spotify, Google Podcasts, Itunes, Pocket Casts e Deezer. 

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: José Eduardo Bernardes