Alternativa à Uber

Cooperativa de motoristas cria app em Araraquara (SP) e já tem 11 mil passageiros cadastrados

App "Bibi Mob" já tem 11 mil passageiros cadastrados em um mês de atuação no interior de SP

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Bibi Mob, um aplicativo de transporte privado, foi lançado no dia 3 de janeiro na cidade do interior paulista - Divulgação

Desde que foi lançado, no início do ano, um aplicativo de transporte similar ao Uber ou 99, porém próprio de uma cooperativa de motoristas em Araraquara (SP), já conta com cerca de 400 condutores e 11 mil passageiros cadastrados.  

Continua após publicidade

O Bibi Mob, da Cooperativa de Transporte de Araraquara (Coomappa), pode ser baixado na loja de apps IOS ou Android e usado por qualquer pessoa que esteja, além de na cidade que o lançou, também nos municípios de Américo Brasiliense, Rincão e Santa Lúcia.  

Diferentemente de outras empresas do ramo, a Coomappa estabelece um repasse entre 93% e 95% do valor da corrida para o motorista do Bibi Mob. 

A ideia surgiu entre cinco motoristas de Araraquara que, enquanto aguardavam as corridas tocarem num dia de dezembro de 2020, conversavam sobre como melhorar suas condições de trabalho, diante da falta de diálogo por parte das empresas de app, a alta do preço do combustível e a crise econômica intensificada pela pandemia de covid-19. 

:: Alta dos combustíveis levou 15% dos motoristas de aplicativo a abandonar a profissão em 2021 ::

Katia Anello era uma delas. Na época, trabalhava como motorista da Uber e da 99.“As plataformas não voltavam os olhos para a gente, já se havia feito paralisação e mesmo assim sem sucesso”, descreve ela, hoje presidenta da Coomappa.  

“Começamos a pesquisar e chegamos ao cooperativismo. Eu já fiquei apaixonada logo de cara. É pura economia solidária, é participativa, te ensina que um grupo unido fica ilimitado a conquistar seus espaços, buscar condições melhores do seu serviço”, narra.  

:: "Lockdown é o único instrumento quando não há vacinação", diz prefeito de Araraquara ::

A ideia se espalhou e, com cerca de 40 associados inicialmente, a Coomappa foi fundada em março de 2021. A partir daí se firmou uma parceria com o programa Coopera Araraquara, uma incubadora pública de economia criativa e solidária da prefeitura, sob gestão de Edinho Silva (PT)

“A prefeitura entra com assessoria e a parte estrutural: a nossa sede, alguns materiais para a gente trabalhar e guardar arquivos. E nós, no final de 2021, fizemos cotações em vários aplicativos e o que mais serviu para o nosso modelo de negócio, que é totalmente sem fins lucrativos, foi o Bibi Mob”, explica Alan Corrêa, diretor comercial da Coomappa. 

App de cooperativa de entregadores também será lançado 

Coordenadora de Trabalho e de Economia Criativa e Solidária da prefeitura, Camila Capacle conta que uma iniciativa similar está sendo desenvolvida para o serviço de motoentregadores em Araraquara.  

A cooperativa de entregadores da cidade, chamada Morada Express, foi fundada em julho de 2021. “Estamos trabalhando com eles na criação de um aplicativo municipal e também na disponibilização de uma sede”, expõe Capacle. 

Como funciona a cooperativa de motoristas 

Os associados da Coomappa pagam, atualmente, uma contribuição mensal de R$ 50 para que a empresa, autogerida por eles, invista na manutenção da cooperativa e do aplicativo.  


Motoristas da cooperativa no dia da inauguração de sua sede em Araraquara / Coomappa

“Não tem finalidade lucrativa. Se houver sobras líquidas, esse valor é repartido por meio de decisão em assembleia com os cooperados no final do exercício do ano. Por isso conseguem fazer um repasse maior aos motoristas”, afirma Camila Capacle. 

Sem ter investido diretamente no app, a prefeitura oferece espaço para a sede, água, luz, internet, assessoria técnica e acompanhamento de gestão.  

:: App de cooperativa é alternativa a apps como Uber e já beneficia motoristas e usuários no RS ::

“Com todo esse sucesso, recebemos muita procura, de várias cidades, para a gente fazer filiais pelo estado de São Paulo e por todo o Brasil. Agora a gente vai seguir com esse processo adiante para trazer dignidade para os motoristas de aplicativo”, conta Alan Corrêa. 

“Para aquela cidade que não for ter uma filial”, relata, “a gente está passando toda a nossa experiência para que possam também implementar projetos como esse”.

 

Edição: Vivian Virissimo