direitos humanos

Desmatamento aumenta ameaças contra indígenas isolados, diz sertanista ao Programa Bem Viver

Sobrevivência de populações isoladas depende de um conjunto de políticas pública, que vem sendo desmontadas

Ouça o áudio:

Desmatamento na Amazônia é maior em territórios com povos indígenas isolados - Gleilson Miranda/Secretaria de Comunicação do Estado do Acre
Brasil é o país com maior número de comunidades isoladas do mundo

Os povos indígenas isolados, aqueles que optaram por não manter contato com a sociedade não indígena, estão cada vez mais ameaçados pelo avanço do desmatamento, em especial na região da Amazônia. A sobrevivência dessas populações depende de um conjunto de políticas pública, que vem sendo desmontadas ano a ano no país, segundo avaliação do sertanista Wellington Figueiredo, especialista na defesa de povos isolados.

Figueiredo, que foi um dos primeiros profissionais da Fundação Nacional do Índio (Funai) a ter contato com comunidades isoladas, conversou com a edição de hoje (21) do Programa Bem Viver e lamentou que a situação desses povos desperte pouca empatia na opinião pública.

Aos 70 anos, o sertanista esteve na linha de frente de dezenas de expedições que estabeleceram contato com povos habituados a viver de maneira autônoma na floresta. Ele também contribuiu com a criação da Coordenação Geral de Índios Isolados e de Recente Contato, vinculado à Funai, que iniciou as atividades em 2003.

De lá para cá, a política do órgão mudou e o contato passou a ser feito apenas quando há risco ou ameaças para essas populações.

A maioria dos povos isolados do país vive na região oeste do estado do Amazonas, área reconhecida como a com maior concentração de comunidades isoladas do planeta. Dos 26 povos que habitam a Terra Indígena Vale do Javari, por exemplo, 19 deles vivem em isolamento voluntário, segundo o Instituto Socioambiental (ISA).

Lucro dos bancos

Em meio a crise sanitária e econômica causada pela pandemia de covid-19, os quatro principais bancos brasileiros tiveram lucro recorde. Só no ano passado, somando os rendimentos de Banco do Brasil, Santander, Itaú e Bradesco, a cifra passou de R$ 80 bilhões.

Enquanto isso, os efeitos da crise na vida da população são claros: a pandemia causou impactos severos na economia do país, que se refletiram no bolso dos trabalhadores. Não é difícil encontrar pessoas que perderem o emprego ou tiveram a renda drasticamente reduzida no período.

Manifesto comunista

O dia 21 de fevereiro de 1848 mudou para sempre a história do mundo. Foi nesta data que os filósofos Karl Marx e Friedrich Eagles lançaram o famoso Manifesto Comunista, uma contundente crítica ao modo de produção capitalista e à forma como a sociedade se estruturou por meio dele.

O documento foi escrito no meio do grande processo de lutas urbanas das Revoluções de 1848, chamadas também de Primavera dos Povos, um movimento contestador e revolucionário que se espalhou por diversos países europeus.

O documento buscou organizar o proletariado como classe social capaz de reverter situação precária imposta pelos patrões. Mais de 150 anos após sua publicação, o manifesto segue atual e influenciando a luta da classe trabalhadora.


Confira como ouvir e acompanhar o Programa Bem Viver / Brasil de Fato

Sintonize

O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP), Rádio Torres Cidade (RS) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas: Spotify, Google Podcasts, Itunes, Pocket Casts e Deezer.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Edição: Sarah Fernandes