SEGURANÇA PÚBLICA?

Polícia Civil do RJ destrói com caveirão placa em homenagem a mortos na Chacina do Jacarezinho

Memorial, inaugurado no último dia 6 quando mortes completaram um ano, homenageava também policial morto em operação

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ) |

Ouça o áudio:

Jacarezinho
Monumento foi inaugurado no último dia 6, quando a chacina do Jacarezinho completou um ano - Reprodução/Redes sociais

Policiais civis do Rio de Janeiro destruíram na tarde desta quarta-feira (11) uma placa em homenagem aos 28 mortos da chacina do Jacarezinho, na Zona Norte da capital, ocorrida em maio do ano passado. Os agentes utilizaram um "caveirão" (carro blindado) para arrancar a placa do chão e destruíram o objeto a marretadas.

Leia mais: "Enxugamos gelo sujo de sangue", avalia presidente da Comissão de DH da Alerj sobre Jacarezinho

A ação da Polícia Civil gerou a indignação de moradores, de familiares dos mortos, de lideranças de movimentos populares e de parlamentares. A deputada Renata Souza (PSOL) lembrou que o monumento foi inaugurado no último dia 6, quando completou um ano da operação policial no local e repudiou o comando da segurança pública pelo governador Cláudio Castro (PL).

"A polícia de Claudio Castro mata e depois destrói a memória. É o genocídio casado ao memoricídio: o assassinato da memória de nossa violência social. Muito grave! Total repúdio a essa ação violenta", afirmou a parlamentar.

Em nota, a Secretaria de Polícia Civil alegou que a diligência, realizada por meio da 25ª DP (Engenho Novo) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), teve por objetivo retirar o memorial que fazia "apologia ao tráfico de drogas" e que "foi realizada perícia no local e no material apreendido formalmente". 

Entre os 28 homenageados na placa destruída, porém, constava também o nome do policial André Frias, morto durante a operação de maio do ano passado. A Secretaria argumenta que não houve autorização da esposa e da família do agente para a homenagem.

O fotógrafo e documentarista Bruno Itan registrou a ação dos policiais. No vídeo, os agentes retiram a placa de metal, onde consta o nome dos mortos na operação. Em seguida, o carro blindado da polícia é usado para derrubar o totem de concreto onde a placa estava instalada.

Em janeiro deste ano, Cláudio Castro deu início à implementação do programa de segurança pública Cidade Integrada. O Jacarezinho foi escolhido como comunidade onde o projeto começou a funcionar. Mas o programa, similar ao modelo das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), tem sido alvo de diversas denúncias, como a de policiais que invadiram e roubaram objetos na casa de moradores do bairro.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Bruno Itan 📷 (@brunoitan)

 

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Eduardo Miranda