Ouça e Assista

Por que querem cobrar mensalidade nas universidades públicas?

Professor da Universidade Federal do Ceará fala sobre a tentativa de elitizar o ensino superior com a votação da PEC 206

Ouça o áudio:

Votação da PEC 206 que propõe mensalidade em universidades públicas é adiada na Câmara Federal - Mídia Ninja
"Na prática a PEC abre caminho para a privatização das universidades públicas"

A PEC 206/2019, que propõe o pagamento de mensalidades em universidades públicas, estava prevista para entrar na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Federal na última terça-feira(24) mas com a ausência do relator do projeto, o deputado federal Kim Kataguiri(União Brasil - SP), e diante de forte mobilização de entidades de estudantes e de professores, a votação da pauta foi adiada. 

Para dar mais detalhes sobre essa medida, a Entrevista Central do programa Central do Brasil desta quarta-feira(25) recebe o professor Roberto da Justa, membro da direção do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (ADUFC-Sindicato). 

Ele comentou sobre a reação dos movimentos e entidades sindicais ao fato desse projeto ter entrado na pauta da CCJ.“Recebemos com surpresa, essa tentativa de colocar a PEC em pauta na Comissão de Constituição e Justiça. Na verdade, é mais uma tentativa que se soma há outras que, no seu conjunto, caracterizam o governo Bolsonaro, que se preocupa sempre em retirar os direitos conquistados tanto na Educação, quanto em outros setores como Saúde e o Campo”.

Para Roberto, a PEC abre caminhos para retrocessos ainda maiores para o ensino superior público brasileiro. “Na prática, a PEC abre caminho para a privatização das universidades públicas e a exclusão dos mais pobres na educação e isso é um verdadeiro crime porque a educação é um direito e, portanto, essa PEC precisa ser barrada”

Ele ainda alerta que o índice de brasileiros que estão conseguindo concluir o ensino superior está muito abaixo do ideal. ““É necessária uma ampliação do ensino superior no Brasil, apenas 21% da população brasileira, entre 25 e 34 anos, concluíram o ensino superior no Brasil. Esse percentual é muito inferior se formos comparar com dados de outros países da América Latina, como o México e Colômbia, que têm um percentual de 24% e 30%, respectivamente. O que o país precisa é ampliar o acesso à rede de universidades públicas”. 

E mais!

Você também assiste uma reportagem sobre a Chacina de Vila Cruzeiro no Rio de Janeiro, que até o momento já retirou a vida de 25 pessoas. Ela bjá é considerada uma das maiores ocorridas durante operações policiais da história do cidade e só perde para a chacina de Jacarezinho, que ocorreu em Maio de 2021.

No quadro Embarque Imediato, você acompanha a mobilizações dos metroviários de São Paulo que aceitaram o reajuste proposto pelo Governo do Estado após forte pressão da categoria.

E na Parada Cultural tem todos os detalhes do espetáculo "A Princesa e a Costureira", de Helena Black. O show, que é uma adaptação do livro de Janaína Leslão, foge do convencional, sendo fundamental na discussão do respeito à diversidade.

O Central do Brasil é exibido de segunda à sexta, às 19h45, pela TVT-SP, emissoras públicas e comunitárias de todo país e pelo Brasil de Fato nas redes sociais.

Sintonize!

Para acompanhar o Central do Brasil, basta sintonizar a TVT em uma antena digital, interna ou externa. Na grande São Paulo, o canal é o 44.1 (sinal digital HD aberto); na NET o canal é o 512 (NET HD-ABC); no UHF, a sintonia é 46; 13 na NET-Mogi; e Canal 12 na Vivo São Caetano do Sul.

A sintonia da Rádio Brasil Atual é 98,9 FM na Grande São Paulo. Também é possível acompanhar a programação radiofônica pelo site do Brasil de Fato.

Quem está fora de São Paulo, pode sintonizar a TVT com a parabólica, via satélite. É necessário direcionar a antena para StarOne C3 Freq: 3973 Mhz Pol: Vertical, DVB-s2; SR: 5000 FEC ¾. Confira mais informações neste link.


Dados da menor estação receptora
Antena: Embrasat modelo RTM 2200Std
Focal-Point
Diâmetro 2,2m
Ganho de recepção no centro do Feixe (Dbi) 37,5
G/T da estação (dB/K) 18,4
 

Edição: Afonso Bezerra