OUÇA E ASSISTA

Em meio às chuvas em Pernambuco, solidariedade entre a população ganha força

Programa também traz balanço apresentado pelo MST sobre a reforma agrária e uma análise sobre o racismo ambiental

Ouça o áudio:

Campanha Mãos Solidárias está distribuindo marmitas para os moradores das comunidades mais atingidas no Recife - Mãos Solidárias
Precisamos nos dar as mãos e solucionar a causa destes problemas que é estrutural.

As fortes chuvas que atingiram diversos pontos em Pernambuco, na última semana, já fizeram mais de 90 vítimas fatais e, segundo o Governo do Estado, cerca de 4 mil pessoas estão desabrigadas em diversas localidades. Em meio à situação de emergência que ceifou a vida dessas pessoas e destruiu casas e bens materiais, a solidariedade tem sido essencial para amparar as milhares de famílias vítimas das chuvas.

Na reportagem do quadro Nacional do programa Central do Brasil desta terça-feira (31), você acompanha alguns dos vários projetos que estão apoiando os atingidos. Uma das ações é da igreja Batista Coqueiral, em parceria com o Instituto Solidare, que está recolhendo alimentos, roupas, produtos de limpeza e recursos financeiros. O pastor José Marcos é presidente da iniciativa. Para ele, enquanto o Estado não constrói políticas públicas efetivas de prevenção, são ações como essas que oferecem um suporte para a população.

"Este problema não é natural. É um problema socioambiental. Precisamos de seriedade política porque não estaríamos passando o que estamos passando", relata.

A campanha de solidariedade organizada pelos movimentos populares de Pernambuco, Mãos Solidárias, é outra iniciativa que está mobilizando um grupo de voluntários. A ação tem preparado várias marmitas para distribuírem às famílias atingidas, além de também recolherem doações de alimentos, colchões e outros itens.

E mais!

Você também acompanha na Entrevista Central a conversa com a advogada ambiental, Fábia Carvalho. Ela analisa como o racismo ambiental está presente nas tragédias climáticas, principalmente em Pernambuco.

No quadro Embarque Imediato, Pedro Vilela, repórter do Brasil de Fato no Distrito Federal, traz informações sobre a coletiva de imprensa promovida pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), na manhã desta terça(31), que apresentou um balanço  sobre a questão da reforma agrária no Brasil o  desmonte do INCRA sob o governo Bolsonaro.

E a Parada Cultural  indica o lançamento do videoclipe “Voltei Pra Ficar”, da banda Trevoah, do Rio Grande do Sul.

O Central do Brasil é exibido de segunda a sexta-feira, às 19h45, pela TVT-SP, emissoras públicas e comunitárias de todo país e pelo Brasil de Fato nas redes sociais.

Sintonize!

Para acompanhar o Central do Brasil, basta sintonizar a TVT em uma antena digital, interna ou externa. Na grande São Paulo, o canal é o 44.1 (sinal digital HD aberto); na NET o canal é o 512 (NET HD-ABC); no UHF, a sintonia é 46; 13 na NET-Mogi; e Canal 12 na Vivo São Caetano do Sul.

A sintonia da Rádio Brasil Atual é 98,9 FM na Grande São Paulo. Também é possível acompanhar a programação radiofônica pelo site do Brasil de Fato.

Quem está fora de São Paulo, pode sintonizar a TVT com a parabólica, via satélite. É necessário direcionar a antena para StarOne C3 Freq: 3973 Mhz Pol: Vertical, DVB-s2; SR: 5000 FEC ¾. Confira mais informações neste link.


Dados da menor estação receptora
Antena: Embrasat modelo RTM 2200Std
Focal-Point
Diâmetro 2,2m
Ganho de recepção no centro do Feixe (Dbi) 37,5
G/T da estação (dB/K) 18,4

 

Edição: Afonso Bezerra