Celebração e debate

Jornada de Agroecologia começa nesta quarta (22) em Curitiba; evento chega à 19ª edição

Evento reúne mais de 60 organizações em cinco dias de programação com oficinas, feiras e apresentações culturais

Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

Ouça o áudio:

Jornada de Agroecologia acontecerá no Campus Rebouças da Universidade Federal do Paraná - ©Jornada de Agroecologia / Arquivo

A partir desta quarta-feira (22), a cidade de Curitiba recebe a 19ª Jornada de Agroecologia, com programação que segue até domingo (26). Um dos maiores eventos sobre o tema no Brasil, a jornada reúne programação cultural e artística, debates, oficinas, troca de ideias e uma feira de alimentos agroecológicos e orgânicos. 

Continua após publicidade

Quase 70 organizações do campo e da cidade estão envolvidas na organização. Este ano, o evento tem o lema Terra Livre de Transgênicos e Sem Agrotóxicos! Cuidando da Terra, Cultivando Biodiversidade e Colhendo Soberania Alimentar! Construindo o Projeto Popular para a Agricultura. Confira a programação completa clicando neste link.

Os desafios do evento em 2022 foram ampliados frente ao cenário de enfraquecimento sistemático de políticas de proteção ambiental, aumento do desmatamento e da violência no campo e intensificação do uso de agrotóxicos em solo nacional.

A programação de formação da Jornada inclui mais de 30 oficinas e seminários temáticos. A agenda conta com intensa troca de ideias sobre temas como a reforma agrária popular, educação no campo, planejamento territorial e os prejuízos da aplicação de venenos agrícolas nas lavouras.

Cultura, arte e solidariedade

A 19º Jornada de Agroecologia também dedicará espaço especial para celebrar a reforçar ações de solidariedade colocadas em prática por famílias agricultoras de todo o Brasil durante a pandemia da covid-19.

Imagens da partilha de toneladas de alimentos doados ao longo do período farão parte da exposição Agroecologia e Solidariedade. A própria jornada vai se converter em espaço para doações, em ação que beneficiará comunidades curitibanas em situação de vulnerabilidade na manhã de sábado (25).

Além disso, mais de 60 feirantes estarão presentes, comercializando sementes crioulas, grãos, hortaliças, frutas, derivados de leite, da cana de açúcar, mel, suco, pães e até mesmo artesanato. Tudo produzido por assentamentos e acampamentos da reforma agrária, comunidades indígenas e tradicionais e coletivos da economia solidária. 

A programação cultural inclui ainda a exposição Charges pela Agroecologia, com imagens de mais de trinta chargistas brasileiros e de outros países do mundo. Uma intensa programação musical, teatral e de dança também fará parte do evento, que acontece no Campus Rebouças da Universidade Federal do Paraná. 

Financiamento coletivo

Para garantir parte da estrutura, transporte e materiais que vão possibilitar a realização do evento, foi lançada uma campanha de financiamento coletivo. O objetivo é arrecadar R$ 100 mil.

Quem colaborar receberá recompensas que incluem produtos orgânicos como cachaças, açúcar, cafés e chás produzidos pela agricultura familiar brasileira. Clique aqui para saber mais sobre como apoiar.
 

Edição: Felipe Mendes